"Tinha-lhe dito que ia marcar..."

O capitão do FC Porto, Lucho González, fez questão de ajudar a equipa em Zagreb, mesmo depois de ter recebido a notícia da morte do seu pai, horas antes do jogo.

O gesto do médio nos festejos do seu golo ganha agora outro significado, assim como as palavras de Vítor Pereira, que enviou uma mensagem pública ao seu capitão no final do encontro. "Quero mandar um grande abraço ao Lucho. É um profissional dez estrelas", disse o treinador.

No final, já na zona mista do estádio, o médio explicou que decidiu jogar por todo o apoio que recebeu depois de saber da notícia.

"Tinha-lhe dito que ia marcar um golo... É uma situação da vida, estou triste com o que aconteceu, mas com a força dos meus companheiro, corpo técnico e dos dirigentes, pedi para jogar, e tudo correu bem. Sinto-me feliz de alguma maneira por aquilo que aconteceu", afirmou.

"Foi um momento em que me vieram muitas coisas à cabeça, senti-me triste, mas agora quero estar com a minha família", referiu depois, em alusão ao golo que marcou.