Sérgio Oliveira: "Estou grato ao FC Porto e ao treinador por me terem ajudado a crescer"

Sérgio Oliveira: "Estou grato ao FC Porto e ao treinador por me terem ajudado a crescer"

Médio internacional português foi esta sexta-feira apresentado como jogador da equipa de Mourinho.

Sérgio Oliveira falou esta sexta-feira, em conferência de imprensa, sobre a aventura na Roma, clube onde chega por empréstimo até final da temporada, com opção de compra. O médio internacional português não esqueceu os dragões na conversa com os jornalistas.

"Estou grato ao FC Porto e ao treinador por me terem ajudado a crescer. A última temporada foi a melhor a nível individual. Estou aqui para mostrar o meu valor, tanto nos treinos como nos jogos. Quero ficar aqui muito tempo. O treinador está habituado a vencer e a lidar com jogadores de qualidade. A Roma tem jogadores de personalidade e sou mais um para ajudar", disse o jogador de 29 anos. "Queria um novo desafio, uma nova experiência. Não tenho medo de chegar a Roma por empréstimo do FC Porto. Para merecer a confirmação [opção de compra], tenho de estar bem em campo, nos treinos e jogos, para ficar muito tempo", indicou.

Oliveira mostra-se preparado para o desafio na Serie A. "Fiz um caminho normal, nem todos somos o Mbappé. Houve dificuldades neste caminho. Aprendi muito dentro e fora do campo. Sinto-me um jogador completo, mas não mudaria nada das minhas experiências, sem elas não seria o que sou hoje, indicou. "O meu papel preferido é como o número 8 num meio-campo três, mas posso jogar onde o treinador quiser. Quero colocar as minhas qualidades à disposição da equipa", prosseguiu.

Na mira está o regresso à seleção portuguesa. "O meu objetivo é ser convocado novamente. O treinador sabe disso. Portugal tem de vencer o primeiro jogo [play-off frente à Turquia] e depois pode enfrentar a Itália. Portugal tem todas as condições para jogar o próximo Mundial", comentou.

Os primeiros tempos em Itália são encantadores. "As infraestruturas são excelentes. Fui muito bem recebido por todos e agradeço por isso. Já seguia a Roma e vendo-os também de fora dá para perceber os movimentos que costumam fazer dentro de campo. Com o tempo vou sentir-me cada vez mais à vontade", garantiu.