Sérgio Oliveira, a frase de Costinha e ainda Conceição: "Cobra-te ao centímetro"

Sérgio Oliveira, a frase de Costinha e ainda Conceição: "Cobra-te ao centímetro"

Declarações de Sérgio Oliveira em entrevista à revista Dragões.

Supertaça: "Conquistar um título é sempre uma sensação única. A Supertaça é sempre especial, porque é decidida num jogo. Claro que tem de se ganhar o campeonato ou conquistar a Taça de Portugal para a disputar, mas depois o título é decidido num jogo. Encarámos esse jogo dessa forma: Vamos agarrá-lo, este clube merece, nós merecemos e todos os adeptos também. Foi uma alegria imensa."

Coletivo: "Ainda agora passei pelo corredor e vi uma frase do Costinha que diz: 'No FC Porto, o que importa é o coletivo'. É a maior das verdades. Se a equipa estiver bem, o individual vai sobressair. Ao longo dos anos tivemos muitos craques a jogar aqui, este ano temos imensos, mas no FC Porto só interessa a vitória. Só depois se pensa no individual".

Presente: "Trabalhei para jogar a um nível alto, penso que estou a jogar a um bom nível. Consigo perceber algumas coisas que não percebia há uns anos. Essencialmente, trabalhei para conquistar títulos, para jogar a este nível e para marcar a minha presença no FC Porto. Foi o que sempre quis ao longo dos anos, assentar aqui e que me olhassem como uma referência, tanto pelos adeptos como pelos jogadores da formação. É isso que quero continuar a fazer."

Tática de Conceição: "Não é fácil jogar no 4-4-2, principalmente com a exigência que o mister pede. Tens que ser um médio intenso e perceber o que o mister quer. É muito exigente, cobra-te ao metro, aliás, ao centímetro, porque não estavas bem posicionado. Mas é essa exigência que nos faz competir ao mais alto nível. O mister tem um papel preponderante na nossa equipa e no clube."

Ainda Conceição: "Teve um papel crucial na minha evolução como jogador e espero que continue a ter."

Contas do título: "Nós queremos estar sempre em primeiro. Ao longo da época existem percalços, mas estamos em todas as frentes. Era bom sinal se isso acontecesse todos os anos, sabemos que não é fácil. Temos uma distância grande, sabemos disso e não nos sentimos bem nesta posição. Nesta casa, não é normal. Sentimos uma enorme revolta e tristeza, mas ao mesmo tempo sentimos que tudo é possível. Tivemos um ou outro jogo em que perdemos pontos não só por culpa própria e que mexeu um pouco com a equipa. Estamos de cabeça erguida e vamos à luta.. A palavra desistir não entra no nosso balneário. Tenho a certeza de que ninguém irá atirar a toalha ao chão, isso não é possível no FC Porto. Acredito plenamente que podemos e vamos lutar pelo título até ao fim."