Sérgio Conceição fala em "privilégio" e atira: "Quem tiver cansaço mental não pode estar no FC Porto"

Sérgio Conceição fala em "privilégio" e atira: "Quem tiver cansaço mental não pode estar no FC Porto"

Treinador dos dragões olha para futebolistas, treinadores e dirigentes como "privilegiados" e até dá o exemplo de quem luta contra a covid-19.

Sérgio Conceição foi questionado esta sexta-feira sobre os efeitos do eventual "cansaço mental" sentido no decorrer de uma temporada com o calendário apertado e, na resposta, o treinador do FC Porto foi bem claro, dizendo mesmo que os elementos de clubes profissionais são "privilegiados".

"Numa época de covid, em que se fala tanto disto, esse cansaço mental não existe. Cansaço mental é para quem está doente, os familiares, tanta gente com dificuldades ao fim do mês para pagar contas, para comer, até... Aí é preciso força mental e é preciso uma atitude grande. Agora nós, futebolistas, treinadores, dirigentes? Bem pagos, com uma vida fantástica, pessoas que aparecem todos os dias na televisão... Têm o privilégio de fazer aquilo que gostam e ainda são bem pagos por isso... Tenho dificuldade em entender esse cansaço mental. Em qualquer viagem que fazemos temos um charter para nós. Hotéis de topo, um clube com um símbolo que merece todos o respeito do mundo, que nos permite estar na melhor prova de clubes do mundo, a Liga dos Campeões. Quem tiver cansaço mental não pode representar um clube como o FC Porto", atirou Conceição, preferindo apontar para o cansaço físico:

"Agora, cansaço físico existe. O Sérgio Oliveira estava limitado [contra o Braga], o Pepe acabou o jogo a mancar... É um campeonato anormal. Temos de superar isso, é aí que entram os que não têm tantos minutos, que entram e têm de dar uma resposta", acrescentou o técnico portista.