Sérgio Conceição ameaçou sair, mas acabou a conquistar o segundo campeonato

Sérgio Conceição ameaçou sair, mas acabou a conquistar o segundo campeonato
Redação com Lusa

Tópicos

De recordar que o treinador do FC Porto colocou o lugar à disposição no final de janeiro.

Sérgio Conceição sagrou-se pela segunda vez campeão português de futebol como treinador do FC Porto, numa temporada em que chegou a pôr o lugar à disposição, após a derrota na final da Taça da Liga.

No final de janeiro, depois de perder frente ao Sporting de Braga uma competição que jamais venceu, Sérgio Conceição colocou o lugar à disposição, dizendo que havia falta de união dentro do clube, mas, mesmo a sete pontos do Benfica, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, segurou o treinador.

Após ter perdido o campeonato de 2018/19 para o Benfica, quando também teve sete pontos de vantagem, Sérgio Conceição conseguiu a sua vingança, aproveitando uma das piores séries de resultados da história dos encarnados, que acabou por levar à queda de Bruno Lage.

Ao contrário de anos anteriores, o FC Porto atacou mais o mercado, depois de perder alguns dos jogadores fundamentais da temporada anterior, como Casillas, que sofreu um enfarte e acabou a carreira, Felipe, Éder Militão, Brahimi e Herrera.

Dos reforços, o guarda-redes Marchesín, o defesa Marcano, de regresso, e o avançado Luis Díaz afirmaram-se como habituais titulares, ao contrário de Uribe e Zé Luís, muito inconstantes, e de Nakajima, a aquisição mais cara, mas que nunca se impôs e não voltou à equipa após a paragem devido à covid-19.

"Roubado" aos franceses do Nantes no início da temporada 2017/18, o antigo futebolista dos "dragões" prometeu títulos na apresentação e cumpriu, dando ao FC Porto o primeiro campeonato em cinco temporadas e negando o "penta" ao Benfica.

A segunda temporada começou com a conquista da Supertaça, frente ao Desportivo das Aves, naquele que tinha sido o último título dos "dragões".

A primeira metade da temporada até foi bastante positiva, com uma excelente prestação na fase de grupos da Liga dos Campeões, que terminou com apenas um empate, e com uma caminhada segura no campeonato, em que chegou a ter sete pontos de avanço para o Benfica, que acabou por perder.

O arranque da temporada 2019/20 foi de autêntico pesadelo, com a eliminação na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, frente ao Krasnodar, com uma derrota em casa, por 3-2, depois de ter vencido na Rússia, por 1-0, na primeira mão.

A entrada no campeonato foi igualmente para esquecer, com uma derrota por 2-1 em casa do Gil Vicente, que regressava à I Liga com uma equipa praticamente nova.

Apesar de ter vencido na Luz e em Alvalade, o FC Porto chegou ao fim da primeira volta a sete pontos do Benfica e Sérgio Conceição acabou por colocar o lugar à disposição, após duas derrotas com o Sporting de Braga - para o campeonato e para a Taça da Liga -, intercaladas por um triunfo sofrido sobre o Vitória de Guimarães, nas "meias" da Taça da Liga.

O ponto de viragem acabou por ser um triunfo em casa sobre o Benfica (3-2), que acabou por afetar os 'encarnados', que só conseguiram três triunfos em 13 encontros da I Liga desde a partida do Dragão.

Na Liga Europa, e após uma fase de grupos intermitente, o FC Porto acabou por ser eliminado nos 16 avos de final pelo Bayer Leverkusen.

Sérgio Conceição vai ainda disputar mais uma final, a da Taça de Portugal, em 01 de agosto, em Coimbra, frente ao Benfica, procurando a primeira vitória numa taça.

O ex-futebolista perdeu duas finais da Taça de Portugal, ambas para o Sporting e no desempate por grandes penalidades, em 2015 pelo Sporting de Braga e no último ano já pelo FC Porto, registando ainda dois desaires no encontro decisivo da Taça da Liga.