Repouso de Taremi chegou ao 54.º jogo

Repouso de Taremi chegou ao 54.º jogo
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Iraniano concluiu na terça-feira a época mais alucinante da carreira com triunfo sobre o Iraque que o mantém na luta pela presença no Mundial"2022.

A imagem final de Taremi no encontro entre o Irão e o Iraque, estendido no relvado no derradeiro minuto de compensação, foi o espelho perfeito do desgaste físico com que fecha 2020/21.

O descanso do avançado chega apenas ao fim do 54.º jogo, entre FC Porto e seleção, números nunca antes atingidos por ele, nem mesmo em representação do Persepolis. O máximo até aqui haviam sido 47, na temporada de 2016/17. Por isso, está em cima da mesa a hipótese de ter mais alguns dias de repouso do que os demais companheiros, que a 2 de julho terão de se apresentar no Olival para o tiro de partida de 2021/22, com a realização de exames médicos, avaliações físicas e um treino.

Depois de uma temporada em que saltou para o FC Porto, cumpriu o primeiro jogo da carreira na Liga dos Campeões e foi autor do melhor golo da competição, Taremi não podia ter desejado um melhor final... em termos coletivos. Os iranianos venceram o Iraque por 1-0, ultrapassaram o rival e carimbaram a passagem à terceira fase de qualificação para o Mundial de 2022, num encontro em que o atacante do FC Porto acabou por ficar em branco. Contudo, Mehdi foi protagonista de alguns momentos importantes, que lhe mereceram críticas positivas por parte da Imprensa iraniana. Além de ter deixado os companheiros em boa posição para marcar em duas ocasiões e de ter visto o guarda-redes negar-lhe os festejos por uma vez, o iraniano acabou como capitão. Pelo meio, arriscou uma expulsão muito parecida com a de Turim, quando pontapeou uma bola com o desafio parado, poucos minutos após ter visto um amarelo. A mensagem final foi, por isso, de agradecimento.

"Obrigado a todos os jogadores da equipa nacional que fizeram o nosso querido povo feliz", escreveu nas redes sociais, antes de viajar do Barém para o Irão e entrar oficialmente de férias.

A três golos do máximo da época

Taremi superou várias marcas individuais, entre clube e seleção, mas faltou-lhe uma das mais importantes: o total de golos. O iraniano quedou-se a três dos 29 de 2016/17, quando jogava no Persepolis. Uma marca que, diga-se, ficou mais difícil de bater quando foi poupado ao intervalo do jogo em que o Irão aplicou 10-0 ao Camboja. Contudo, Mehdi nunca jogara a um nível tão exigente.