Pior registo do milénio no FC Porto: baliza ficou sem trancas

Pior registo do milénio no FC Porto: baliza ficou sem trancas
Carlos Gouveia / Ana Luísa Magalhães

Tópicos

A equipa de Sérgio Conceição tem permitido mais remates aos adversários e ganho bem menos duelos defensivos, o que ajuda a explicar a maior permeabilidade, que custou a perda de cinco pontos

O FC Porto sofreu seis golos nas quatro primeiras jornadas do campeonato, tendo conseguido manter a sua baliza inviolada no dérbi com o Boavista. Esta maior permeabilidade apresentada pela equipa portista, que não se reduz apenas ao setor defensivo, não encontra sequer paralelo neste milénio. Ou seja, nunca os portistas tinham encaixado tantos golos ao fim das quatro rondas iniciais.

Curiosamente, o segundo pior registo também pertence a Sérgio Conceição, com cinco golos em 2018/19, a única época em que não foi campeão nacional. Porém, é justo dizer que também é do atual treinador a melhor prestação da equipa a este nível: em 2017/18, o FC Porto chegou à quinta jornada sem qualquer golo sofrido.

Este é uma questão que o treinador vai procurar resolver nos próximos tempos, sabendo que até meados de novembro raramente vai ter hipóteses de trabalhar a fundo devido à sequência de jogos.

Nas três primeiras jornadas, os dragões apresentaram um onze só com jogadores que transitaram da época passada pelo que não passou por aí o problema. E mesmo em Alvalade, Zaidu - que até foi dos melhores, foi a única cara nova. A questão é, naturalmente, mais profunda e os dados estatísticos até ajudam a entender o que se está a passar neste arranque.

O FC Porto está a ganhar bem menos duelos defensivos do que a média das épocas anteriores, que foram sempre acima dos 60 por cento e agora não passa dos 48%. Além disso, o número de remates sofridos também aumentou, fixando-se em 9,5 contra, por exemplo, sete da primeira época de Conceição.

A nível ofensivo, onde até se registou uma verdadeira revolução neste mercado de transferências, o rendimento está dentro do que a equipa tem conseguido com este treinador. São 12 golos marcados, valor que só por uma vez foi superado desde 2000, o que também ajuda a confirmar que é na incapacidade para tapar os caminhos para a sua baliza que está o cerne da questão.

Segunda pior pontuação do milénio

O maior número de golos sofridos pelo FC Porto, em relação ao habitual, tem influência direta nos resultados menos positivos da equipa. Só contra o Braga (3-1) é que isso não sucedeu. A verdade é que a equipa de Conceição já deixou fugir cinco pontos (derrota caseira com o Marítimo e empate no clássico de Alvalade) e esse é o segundo pior registo desde 2000. Uma pontuação mais baixa ao fim de quatro jornadas só aconteceu em 2004/05 e o FC Porto não seria campeão. Por seis vezes, nestes 22 campeonatos, os portistas fizeram o pleno de 12 pontos.