Pinto da Costa recorda episódio de James num Benfica-FC Porto: "Não fosse adormecer ao intervalo"

Pinto da Costa recorda episódio de James num Benfica-FC Porto: "Não fosse adormecer ao intervalo"
Ana Luísa Magalhães

Tópicos

Em novo episódio da série "Ironias do Destino", do Porto Canal, Pinto da Costa recorda 2012, falando da opção por Vítor Pereira - na sequência da saída de Villas-Boas - e destacando um Benfica-FC Porto

Vítor Pereira sucede a André Villas-Boas: "Foi importante a continuidade. Fomos apanhados um bocado de surpresa com a saída do André Villas-Boas, porque ele tinha contrato. Apareceu o Chelsea e foi uma saída um pouco intempestiva e sem contarmos. Naquela emergência de arranjar um substituto, uma vez que não podemos impedir a saída do André, porque o Chelsea pagou a cláusula de rescisão, entendemos que o melhor seria a continuidade do trabalho. O Vítor Pereira era o número dois do André, mas muito perto dele e com muita influência, que os jogadores respeitavam. Veio-se a provar que foi uma boa aposta, venceu dois campeonatos. Os jogadores adaptaram-se porque também o conheciam bem."

James Rodríguez em contrarrelógio para jogar na Luz: "O James estava na seleção e só chegava perto do meio-dia e punha-se em causa que não tinha condições de jogar. Quando ele chegou, fomos buscá-lo ao aeroporto, expusemos o problema e naturalmente que ele vinha cansado. Mas disse que queria jogar. Estabeleceu-se um plano com o doutor Puga e ele, mal chegou ao hotel, foi imediatamente dormir, depois de comer qualquer coisa. Só o acordamos à hora de saída do autocarro, para retemperar as forças e pôr o sono em dia, não fosse ele adormecer ao intervalo [risos]. Foi estabelecido que não entrava logo, porque seria demasiado esforço, mas entrou e virou o jogo: marcou um golo, deu outro a marcar e vencemos o jogo. Foi a certeza de que iríamos ser campeões."

Campeões no sofá: "O Benfica empatou no Rio Ave e nós ficamos automaticamente campeões. Não é a mesma coisa...não dá o mesmo gozo. No campo, com golos, com a participação do público é outra coisa. Não gosto nada dessas situações."

Chegada de Jackson Martínez: "Foi muito importante. Era um ponta de lança fantástico, tinha um faro de golo. Um excelente profissional que ainda hoje tem muitas amizades aqui. Está muito ligado de coração ao FC Porto."