Pinto da Costa: o almoço no chinês que selou o "Rei Artur"

Pinto da Costa: o almoço no chinês que selou o "Rei Artur"
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Presidente do FC Porto relatou, no programa "Ironias do Destino", do Porto Canal, a história da contratação do treinador da primeira conquista europeia do clube

A primeira pedra na afirmação do FC Porto nas competições europeias surgiu ainda com José Maria Pedroto, que, antes de falecer, haveria de ter uma participação decisiva na escolha do treinador que viria a erguer o primeiro troféu internacional dos portistas: Artur Jorge.

"O Pedroto conhecia bem o Artur Jorge, tinha estado em Guimarães e perguntou-me se me dava bem com o Artur Jorge, que tinha sido nosso jogador. Foi assim que nasceu o Artur Jorge", recordou Pinto da Costa, no terceiro episódio do "Ironias do Destino", do Porto Canal.

"Lembro-me que fui a Lisboa, estava no Hotel Altis e falei-lhe. Fomos almoçar a um restaurante chinês que fica perto do Hotel Altis. Começámos a falar de futebol, disto e daquilo, ele tinha estado no Portimonense e o Portimonense tinha descida, até que lhe disse que tinha um projeto para ele.
Disse-lhe que queria que fosse o novo treinador do Porto", contou o presidente dos dragões, convencido de que a decisão era a mais acertada.

"O Artur Jorge ficou admirado a olhar para mim e questionou-me se era a sério. Disse-lhe que tinha falado com o Pedroto, que também avalizava a minha escolha, e disse-me que eu era um tipo de coragem, por escolher um treinador que tinha descido de divisão e que estava há um ano na FPF. Disse-lhe que não o estava a levar pelo passado, mas pela capacidade que lhe via no futuro", afirmou.

A premonição, de resto, haveria de ser confirmada nos anos seguintes, com destaque para o 1987, quando o "Rei Artur" haveria de conduzir os dragões à primeira conquista internacional: a Taça dos Clubes Campeões Europeus.