Pinto da Costa: "Gosto de ser insultado no fim dos jogos, é sinal que o FC Porto ganhou"

Pinto da Costa: "Gosto de ser insultado no fim dos jogos, é sinal que o FC Porto ganhou"
Manuel Casaca

Tópicos

Declarações de Pinto da Costa à margem do jantar comemorativo dos 40 anos de presidência no FC Porto

As críticas de Frederico Varandas no Dragão: "Temos dois ouvidos, um para entrar e outro para sair. Depois podem entrar ou sair rapidamente ou nem entrarem, porque podemos estar com princípio de otite. Não ligo nem é problema. Fico mais atrapalhado quando ouço elogios e a tratar-me por vossa excelência. Isso é que me põe enrascado. Isso existe em toda a parte. Não ligo., não é um problema. Gosto de ser insultado no fim dos jogos, porque é sinal que ganhamos."

Destaques: "O melhor momento foi a vitória em Viena. O FC Porto não era desconhecido, porque tinha estado em Basileia e no meu programa eleitoral, em 1982, um dos pontos era o FC Porto estar numa final europeia. Nem era vencer. O meu amigo Armando Pimentel, que me ajudou a fazer o programa, dizia que era melhor tirar, porque era impossível. Eu dizia que o impossível não existe e que mais tarde ou mais cedo chegaríamos lá. Felizmente não demorou muito, porque ao fim de dois anos estávamos em Basileia, na final da Taça das Taças. Agora, três anos depois estar em final contra um monstro que era o Bayern, com 90% favoritismo de ganhar, num estádio com uma minoria de portugueses e o estádio quase todo vermelho, que são as cores do Bayern.... E vencer a prova daquela forma tão emocionante e tão justa como aconteceu, foi o dia mais feliz para mim como presidente do FC Porto".