Pinto da Costa: "A memória de um herói como o Quintana viverá enquanto por cá andarem portistas, portugueses e amantes do andebol"

Pinto da Costa: "A memória de um herói como o Quintana viverá enquanto por cá andarem portistas, portugueses e amantes do andebol"

Presidente do FC Porto esteve na apresentação do livro "Alfredo Quintana. Um guerreiro extraordinário"

Pinto da Costa marcou presença na apresentação do livro "Alfredo Quintana. Um guerreiro extraordinário", cerimónia que contou com a presença da direção do FC Porto, com a equipa de andebol portista e ainda com representantes da Porto Editora, parceira na elaboração do livro, além de com Raquel Ferreira, esposa de Alfredo Quintana.

"Nunca em 40 anos li alguma coisa que tenha dito aos microfones. Hoje, para que fique bem gravado e porque aquilo que escrevi é o que me vai na alma, quero ler o prefácio deste livro", começou por dizer.

"Em quase 40 anos como presidente do FC Porto, já são muito poucas as coisas que me conseguem surpreender verdadeiramente. Ainda assim, há algumas que mesmo não sendo inéditas nunca deixam de me tocar: uma delas é verificar como homens e mulheres nascidos noutros países, às vezes em realidades completamente distintas da portuguesa, que não são portistas desde o berço, conseguem desenvolver relações fortíssimas de afeição em relação ao clube, como se tivessem nascido e sempre vivido a poucos metros dos estádios das Antas ou do Dragão e vibrassem com o FC Porto desde sempre", prosseguiu o presidente portista.

"O Alfredo Quintana foi um desses casos verdadeiramente extraordinários. Como escrevi na altura, a partida inesperada e injusta do Alfredo Quintana, a 26 de fevereiro de 2021, confrontou-nos com o essencial sobre as nossas vidas, em que no fundo tudo é breve e provisório. Ou quase tudo. A memória de um herói como o Alfredo Quintana viverá enquanto por cá andarem portistas, portugueses e amantes do andebol. E este livro, não tenho dúvidas, cumprirá um papel importante nessa eternização de um guerreiro extraordinário."