Os oito árbitros que o FC Porto diz terem sido condicionados pelo Benfica

Os oito árbitros que o FC Porto diz terem sido condicionados pelo Benfica

Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, acusou terça-feira o Benfica de estar no centro de um "esquema de corrupção", tendo apontado o nome de oito árbitros.

Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, acusou terça-feira o Benfica de estar no centro de um "esquema de corrupção", referindo os nomes dos árbitros alegadamente condicionados pelo clube da Luz. Bruno Esteves, Manuel Mota, Jorge Ferreira, Nuno Almeida, Vasco Santos, Hugo Pacheco, Rui Silva e Paulo Baptista foram mencionados por Francisco J. Marques, numa alegada troca de emails entre Adão Mendes, ex-árbitro da AF Braga, e Pedro Guerra, comentador afeto ao Benfica.

"Temos hoje árbitros, que não sendo internacionais, por vários motivos, têm demonstrado melhores prestações do que os internacionais, entre os quais Jorge Ferreira, Nuno Almeida, Manuel Mota, Vasco Santos, Rui Silva, Hugo Pacheco e Bruno Esteves. Temos ainda Paulo Baptista, que está a fazer uma excelente época, é um excelente árbitro e ia sendo injustamente despromovido na época passada", surge escrito num dos emails mostrados no Porto Canal pelo responsável pela comunicação dos dragões.

Francisco J. Marques, recorde-se, usou o espaço no programa "Universo Porto da Bancada", do Porto Canal, para revelar o teor de umas supostas mensagens entre um ex-árbitro da AF Braga, Adão Mendes, e o diretor de conteúdos da Benfica TV, Pedro Guerra, durante a temporada de 2013/14, na qual o primeiro explicaria o funcionamento deste esquema, que envolveria também Luís Filipe Vieira que, segundo o dirigente portista, é denominado nesta história como "primeiro-ministro", aparecendo os árbitros designados como "padres".