Exclusivo O reguila Vitinha, o astronauta Diogo e a prevalência do azul sobre o vermelho

O reguila Vitinha, o astronauta Diogo e a prevalência do azul sobre o vermelho
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Participação no Mundialito em Vila Real de Stº. António foi crucial no percurso de Vitinha e Diogo Costa.

Antes de o pelado do Complexo Habitacional de Ringer dar lugar ao sintético, a vida de guarda-redes não era fácil. As mazelas eram constantes e poucos queriam desempenhar esse papel. Nem mesmo Diogo Costa.

"Só queria marcar golos", lembra Adílio Pinheiro, que ouviu as queixas do avô do agora internacional português quando lhe propôs a mudança de posição. "A verdade é que no dia seguinte veio com luvas, calças almofadadas, joelheiras, cotoveleiras... Parecia um astronauta", brinca o fundador dos Pinheirinhos de Ringe. "Mas nos torneios de futsal continuava a marcar golos de uma baliza à outra. É por isso que joga tão bem com os pés", sustenta o septuagenário, descrevendo Diogo como uma criança mais calma e observadora do que o companheiro do FC Porto e da Seleção.