"O que sabe melhor no Jamor? Ganhar. Como adepto, jogador ou treinador"

"O que sabe melhor no Jamor? Ganhar. Como adepto, jogador ou treinador"
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Declarações de Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, ao Canal 11, em jeito de antevisão à final da Taça de Portugal, frente ao Tondela (domingo, 17h15).

Tondela ferido, mas com palavra a dizer: "Fomos alertando durante a semana, porque os verdadeiros festejos são os que estão para chegar e não os que já passaram. Na segunda-feira foi folga, mas houve gente que começou a trabalhar, nomeadamente a equipa técnica e o departamento médico na preparação do jogo. Foi uma semana normal, uma entrega fantástica e consciente dos jogos para preparar a final. E uma final é uma final. Podemos dizer que teoricamente somos favoritos, mas isso conta muito pouco num jogo de futebol, porque esse favoritismo tem de se demonstrar dentro do campo. E vamos defrontar, talvez, o adversário mais motivado que tivemos esta época, porque está a jogar uma final da Taça de Portugal, que é histórico para o Tondela, que tem boas individualidades. Em termos coletivos não estiveram tão bem e desceram de divisão, mas este é um jogo diferente de todos os outros. Estamos preparados para as dificuldades. Tivemos uma semana muito boa ao nível da exigência e da dedicação ao treino, confiantes, mas desconfiados do que pode fazer o Tondela."

Ainda não foi feliz como treinador numa final no Jamor: "Foram momentos vividos e passados. De desilusão, é verdade, mas acho que nessas duas finais, uma pelo Braga e outra pelo FC Porto, fomos superiores ao adversário [Sporting] e acabámos por cair nos penáltis. Daí o nosso treino ter incidido sobre esse momento do jogo. Foi a única coisa que fugiu em relação a outras semanas. Nas outras também os trabalhámos, mas nesta semana tivemos um bocadinho mais de tempo a trabalhar esse momento do jogo. É uma questão de respeito pelo adversário e preparados para todas as situações. Isso diz bem o que foi a seriedade da preparação deste jogo."

Época de sonho. Em que foi diferente das anteriores? "É o que é. Houve outras épocas em que também conseguimos conquistar títulos importantes. Nesta conquistámos um, temos outro no domingo para conquistar e é com essa forma de estar e esse estado de espírito que vamos encarar este jogo, alertando todos os adeptos, simpatizantes e sócios do FC Porto de que nada está conquistado. Os festejos são para o fim, se ganharmos a Taça. Respeito máximo pelo Tondela. Este campeonato foi importante, mas o mais importante é o próximo título. Não podemos continuar nos festejos e achar que já está, porque não está. É preciso jogar e ganhar."

Qual a experiência que sabe melhor no Jamor como adepto, jogador e treinador? "Ganhar. Em qualquer uma delas. Sinceramente é isso."