"O FC Porto era uma equipa dos diabos e não nos deu tréguas"

"O FC Porto era uma equipa dos diabos e não nos deu tréguas"

Rangers regressa ao Dragão 14 anos depois de um empate histórico para o clube escocês.

Foi a 23 de novembro de 2005 que o Rangers obteve, em pleno Estádio do Dragão, um dos resultados mais importantes do histórico europeu do clube. Com o empate a uma bola, frente a um FC Porto orientado por Co Adriaanse, a turma de Glasgow deu um importante passou rumo aos oitavos de final da Liga dos Campeões, que acabaria por confiram na partida seguinte, frente ao Inter.

Na altura, os dragões contavam com nomes de peso como Vítor Baía, Quaresma, Lucho ou Lisandro, mas o Rangers fez valer o coletivo para travar o ímpeto azul e branco. Agora, na véspera de novo duelo entre as duas equipas, Alex McLeish, homem do leme da formação de Ibrox em 2005/06, recordou a partida:

"Lembro-me bem. Estávamos a olhar para o abismo e acabámos por sair de lá com um resultado fantástico. Tínhamos apenas um esqueleto da equipa, porque estávamos com muitas lesões e jogadores como Dado Prso indisponíveis. Tivemos de meter o miúdo Ross McCormack em campo e ele acabou por marcar e levar-nos aos oitavos da Champions", contou McLeish, em declarações ao Scottish Sun.

"O FC Porto era uma equipa dos diabos e não nos deu tréguas. Tínhamos uma equipa muito inexperiente, muitos jogadores que, provavelmente, nem deveriam ter jogado se tivéssemos outros disponíveis, mas orgulharam o clube. (...) Foi, muito provavelmente, um dos meus melhores jogos em termos táticos", acrescentou Alex McLeish, que também foi selecionador da Escócia.