"Nota-se que Sérgio Conceição sente que tem de acender uma luzinha vermelha"

"Nota-se que Sérgio Conceição sente que tem de acender uma luzinha vermelha"

Declarações do brasileiro Derlei, jogador que em Portugal passou por Leiria, FC Porto, Sporting e Benfica, no World Scouting Congress, que decorre esta quinta-feira no Porto

Sobre o momento do FC Porto: "É natural que as pessoas esperem que o FC Porto vença todos os jogos e é isso que se vive dentro da equipa. Realmente não se esperava que, nesta fase, a equipa já tivesse várias derrotas, mas, por outro lado, se analisarmos em relação à Champions, a equipa está quase como na época passada. No campeonato, o Benfica começou bem, a vencer todos os jogos. Naturalmente, complica um pouco, mas, se virmos o que há pela frente, é natural que a desvantagem seja recuperada. Mas, pelas declarações, nota-se que o Sérgio sente que tem de acender uma luzinha vermelha, que a equipa tem de colocar o pé no acelerador para que o FC Porto volte a ser aquilo a que nos habituou."

Pepe continua importante: "Com certeza. O Pepe, apesar da idade, mostra que corre como qualquer outro, não se notam dificuldades. As pessoas começam a questionar a idade, mas um jogador como o Pepe não joga só com os músculos, joga com a experiência"

Jogadores como Veron, Pepê: "Se analisarmos, faltou um ou outro daqueles jogadores da espinha dorsal que o Sérgio tem como base: o Diogo, o Pepe, o Uribe, também o Otávio e o Taremi. Em alguns jogos faltaram esses jogadores, que são de extrema importância e fazem falta à equipa, nem que seja 45 minutos. O Pepê é o jogador que mais evoluiu em todo este processo, o Veron tem entrado aos poucos e vê-se que começa a soltar-se. Ainda está um pouco preso pela forma de jogar, as questões táticas, mas é um jovem e tem muito tempo para poder florescer e ser o jogador que todos esperamos. Já o Pepê é um jogador que já atingiu o patamar FC Porto, que é muito elevado, é um dos melhores do plantel, fruto do trabalho individual dele e também daquilo que o Sérgio lhe impôs. Desenvolveu várias funções e hoje em dia é imprescindível."

As saídas de Vitinha e Fábio Vieira: "Sempre que saem jogadores importantes, que fazem a diferença, é normal que os que chegam levem algum tempo a adaptarem-se ao sistema de jogo e a entender o ambiente. O FC Porto é um clube à parte e a grande maioria dos jogadores precisa desse tempo. Ao longo da história temos visto que a maioria dos que chegam precisa de um determinado tempo, às vezes seis meses ou mais, para que consigam entender o que é o FC Porto. O Sérgio Conceição tem conseguido demonstrar isso, mas há que ter paciência, principalmente com alguns jovens que ele tem trazido da equipa B e da formação. Se esses jogadores vão colmatar os que saíram, é difícil de dizer. Eles tinham o seu protagonismo e qualidade, mas o FC Porto está habituado. O futebol português é assim, é preciso vender para equilibrar as questões financeiras e, depois, pode não haver condições para ir ao mercado buscar um jogador que tenha as mesmas caraterísticas. É um trabalho extra para o treinador, fazer com que o novo jogador se adapte à forma de jogar. Leva um pouco de tempo."