"Não me importa muito o papel que o treinador me dá em campo"

"Não me importa muito o papel que o treinador me dá em campo"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Pedro Marques Costa

Tópicos

ENTREVISTA, PARTE III >> O herói do FC Porto da Taça de Portugal, Mbemba, fala de uma época de superação individual e coletiva e recorda o domínio evidenciado nos confrontos com o Benfica

Revelou, nesta fase final da época, uma grande capacidade goleadora. Sente que pode marcar mais do que seis golos na próxima época?
-Se não estou em erro, acho que até já marquei mais do que seis golos no Anderlecht [na realidade, foram mesmo seis, na época de 2013/14]. Mas vamos ver o que acontece na próxima temporada. Sou daqueles jogadores que gosta de aproveitar as oportunidades que vou tendo para marcar.

Apesar de ser defesa-central, Sérgio Conceição utilizou-o em várias posições...
-Não me importa muito o papel que o treinador me dá em campo. Posso assumir qualquer posição. Aliás, na seleção do Congo até estou bastante habituado a jogar como médio-defensivo. Isso nunca será um problema para mim.

Como é ter colegas como Pepe, Marcano e Diogo Leite? Como define cada um?
-Todos somos diferentes todos têm as suas qualidades. O Pepe e o Marcano são muito experientes e é uma honra jogar ao lado deles. O Diogo Leite é um jovem com um enorme futuro! Entre nós os quatro, sinto que estivemos bem, segurámos aquela defesa e alcançámos os nossos objetivos.