Mbemba: o que lhe disse Pepe na festa do título e o pedido de Marega em Guimarães

Mbemba: o que lhe disse Pepe na festa do título e o pedido de Marega em Guimarães

Central vinca que é um prazer jogar ao lado do internacional português e recordou o episódio de racismo em Guimarães.

Chancel Mbemba concedeu uma entrevista ao Leopards TV após uma temporada de sucesso em termos individuais e coletivos. O central do FC Porto falou sobre a relação com Pepe, companheiro no eixo defensivo, entre outros temas, como o episódio de racismo com Marega.

"Eu via o Pepe jogar na televisão, ainda eu estava no Congo. É um orgulho jogar ao lado dele. Aprendo muito. Jogar ao lado dele faz-me bem. Isso motiva-me. Ele é uma pessoa com a qual se sonha jogar. E poder hoje jogar ao lado dele é uma graça de Deus, uma graça que poucos se podem dar ao luxo de ter. Se discuto com ele? Não muito. Mas ele dá-me muitos conselhos quando jogamos juntos. Quando estou lesionado, ele encoraja-me a voltar. Ele importa-se", afirmou.

Mbemba recordou o momento em que se abraçou ao internacional português após a conquista do título. "O Pepe fala pouco francês e um pouco de inglês e é tudo. Ele dizia-me: 'Chancel, conseguimos, conseguimos!'. Eu entendi que ele estava a dizer que tínhamos conseguido", lembrou.

O episódio de racismo em torno de Marega, no jogo do campeonato em Guimarães, mereceu um comentário: "Foi um episódio infeliz. Quando entrámos em campo é para agradar aos adeptos e quem nos vem ver. Mas o que é triste é que Marega jogou nessa equipa. Estávamos atrás dele, depois ele decidiu deixar o campo. Era necessário que todos saíssemos, mas somos empregados do FC Porto. Tínhamos vontade de sair todos, mas nós não recebemos ordens do presidente nem do treinador para o fazer. Depois, quando discutiu com o treinador, disse que ia sair sozinho, para não enfraquecer a equipa na luta pelo título e perder três pontos. Aí o treinador autorizou-o a sair, bem como a todos os que quisessem, mas foi ele que preferiu sair sozinho e pediu para continuarmos no jogo. Foi algo que nos fez sentir mal, porque estávamos todos implicados. Mas depois toda a equipa ficou solidária com o Marega. A equipa adversária e seus adeptos foram multados. Mas é lamentável, porque jogamos para proporcionar um bom momento aos adeptos. E alguém vem com uma faca e corta-te a mão; o meu sangue não é verde, é vermelho. Nós somos iguais."