Marega marcou à presa favorita e já ofereceu 11 vitórias ao FC Porto

Marega marcou à presa favorita e já ofereceu 11 vitórias ao FC Porto
Carlos Gouveia

Tópicos

O avançado tem "queda" para golos decisivos. Na época do último título foi ele que mostrou ter cabeça para derrotar o Marítimo, como fez no domingo com o Rio Ave, num daqueles jogos que "dão títulos".

Marega marcar golos decisivos como fez em Vila do Conde não é propriamente uma novidade. O JOGO fez as contas e esta foi a 11ª vez que o maliano ofereceu a vitória ao FC Porto, desde que assinou pelo clube em janeiro de 2016.

E só contra o Rio Ave - a quem já marcou sete golos de azul e branco - esta foi a terceira vez que resolveu um encontro a favor dos dragões. Um remate de cabeça, logo aos 12", foi suficiente para garantir os três pontos numa daquelas vitórias que Sérgio Conceição considerou serem das "que dão títulos".

E foi basicamente isso que outra cabeçada "famosa" do maliano - também na sequência de um canto de Alex Telles - ofereceu ao FC Porto em 2017/18 quanto marcou ao Marítimo, nos Barreiros. Nessa época fez ainda golos que deram vitórias em mais quatro partidas: Rio Ave, Marítimo (Dragão), V. Guimarães e Tondela. Na época passada, ofereceu o triunfo contra o Galatasaray (Liga dos Campeões), Santa Clara (nos dois jogos), Moreirense e Rio Ave.

Depois de um início de época complicado, em que até foi "acusado" de ter uns quilos a mais, o maliano reencontrou-se com os golos no clássico da Luz e desde então tem tido ações decisivas - golos ou assistências - em quase todos os jogos.

À procura do golo 50 pelos dragões

Marega fez o 12º golo da carreira ao Rio Ave, de longe a presa favorita, o sétimo pelo FC Porto, tendo chegado aos 49 em todas as provas com a camisola azul e branca. Contra o Feyenoord, o maliano, que foi o melhor marcador dos dragões na edição anterior da Liga dos Campeões, tem a primeira oportunidade de chegar à meia centena de remates certeiros. Marega leva 111 jogos no FC Porto e a estreia a marcar foi contra o Gil Vicente na primeira meia época que fez no Dragão. Depois do regresso, promovido por Sérgio Conceição, a produção ofensiva disparou para 23 golos em 17/18 e 21 na época passada. Agora já vai em quatro. No atual plantel, apenas Aboubakar tem mais golos marcados: 56.