Marchesín volta e aquece para a Supertaça

Marchesín volta e aquece para a Supertaça
Ana Luísa Magalhães

Tópicos

Diogo Costa foi titular nos últimos três jogos, na Champions, Taça de Portugal e Taça da Liga. Com o regresso da I Liga e na antecâmara do clássico, o argentino retoma

A receção ao Nacional, no domingo, marcará o regresso do FC Porto à I Liga e de Agustín Marchesín à baliza. Nos últimos três jogos, para outras tantas provas, Diogo Costa esteve entre os postes, mas o guarda-redes argentino assumirá a titularidade diante dos madeirenses, não só por ser a principal competição, mas também a pensar no encontro posterior, dia 23, diante do Benfica, para decidir a Supertaça.

Desde que ingressou nos azuis e brancos, Marche nunca esteve mais do que três encontros seguidos fora da baliza. A última vez foi na reta final da época passada, quando Diogo Costa alinhou de início nas duas últimas rondas do campeonato (já o título estava nas mãos dos dragões), ganhando ritmo para ir a jogo na final da Taça de Portugal, também diante dos encarnados.

De certa forma, agora invertem-se as posições, ainda que fosse presumível que, mesmo sem a Supertaça, o sul- americano regressasse à titularidade na I Liga. Normalmente, Conceição só troca de guarda-redes na Taça de Portugal e na Taça da Liga, mas o clássico natalício deverá ser de Marchesín, tal como sucedeu com Casillas na Supertaça de 2018, diante do Aves.

Apesar da mudança, nada belisca a confiança de Conceição em Diogo Costa, que recebeu elogios do treinador na quarta-feira. De resto, a baliza já lhe estava destinada na Taça de Portugal (Tondela) e na Taça da Liga (Paços de Ferreira). A surpresa foi ter jogado na Liga dos Campeões, na partida diante do Olympiacos. Uma "prenda" em época de ofertas...