Marchesín avança na Taça de Portugal para adiar o fim

Marchesín avança na Taça de Portugal para adiar o fim

Argentino rende Diogo Costa com os leões. Acesso à final pode valer-lhe jogos na Liga. Guarda-redes nunca saiu por baixo de um clássico em Portugal. Dos 11 que disputou, venceu sete e empatou os restantes. O triunfo mais recente foi em Alvalade.

Número 2 da hierarquia de guarda-redes do FC Porto, Marchesín volta quinta-feira à baliza para tentar garantir o acesso à final da Taça de Portugal, mas não só. O argentino joga também a possibilidade de ter mais tempo esta época, inclusive na Liga.

Salvo três breves minutos em Arouca, onde foi chamado para render Diogo Costa, Marche passou as outras jornadas no banco, mas a presença dos dragões no Jamor poderá valer-lhe um jogo inteiro na prova, numa lógica já aplicada por Sérgio Conceição em 2019/20.

Na altura, com o título já confirmado, o treinador entregou a titularidade a Diogo Costa em Braga, na derradeira jornada da Liga, com o objetivo assumido de lhe dar ritmo competitivo e permitir-lhe chegar no melhor momento à final, que viria a ser ganha ao Benfica. Atualmente só faltam quatro pontos, pelo que o cenário volta a estar em cima da mesa.

Para que possa ser uma realidade, Marche irá terá tentar manter a invencibilidade nos clássicos nacionais. O ex-América leva 11, tendo ganho sete e empatado os restantes. Três dos triunfos foram com o Sporting, o mais recente (2-1) precisamente na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal.