Manafá: a cláusula antirrivais e o caminho de Aveiro ao Algarve

Manafá: a cláusula antirrivais e o caminho de Aveiro ao Algarve

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Tanto pode atuar à esquerda como à direita. É rápido e cruza bem: já tem cinco assistências

Natural de Oliveira do Bairro, mas de ascendência guineense, Wilson Manafá foi descoberto pelo Sporting no clube da terra. Tratava-se de um jovem possante e muito rápido, que atuava quase sempre como extremo, destacando-se pelo jogo vertical muito virado para a baliza. Nos sub-19 do Sporting chegou a ser adaptado a lateral-direito, mas apenas em alguns jogos.

Quando chegou ao Portimonense, então orientado por Vítor Oliveira, continuou a ser aposta no ataque, mas aos poucos foi recuando, fixando-se, esta temporada, como lateral. Um percurso em todo semelhante ao de Ricardo Pereira, por exemplo. O cruzamento é uma das suas armas ao ponto de já ter feito cinco assistências no campeonato.

Quando saiu do Sporting, em 2015, para o Beira-Mar foi "protegido" por uma cláusula antirrivais [Benfica e FC Porto] de 15 milhões de euros, que entretanto terá perdido validade, até porque depois de Aveiro já jogou no Anadia, Varzim e Portimonense. Esta época soma 17 jogos (15 na Liga), marcou dois golos e viu outros tantos vermelhos, um por acumulação de amarelos e outro direto. Está em risco de suspensão com quatro amarelos.