"Jackson pode sair se houver quem pague"

"Jackson pode sair se houver quem pague"
José Manuel Ribeiro/Jorge Maia

Tópicos

O presidente do FC Porto, eleito por O JOGO melhor dirigente das últimas três décadas do desporto português, acredita que vai poder festejar mais um título esta época.

Em entrevista a O JOGO na edição deste domingo comemorativa do seu 30º aniversário, Pinto da Costa responde a diversas questões. "Esta equipa do FC Porto está ao nível das melhores destes 30 anos", disse o presidente dos Dragões. Falando de arbitragens, considera que "o mal não são os árbitros, é o critério de nomeações". Quanto às recentes desavenças entre os dois rivais de Lisboa, Pinto da Costa é claro: "Cortes entre Sporting e Benfica passam-me ao lado". A propósito da candidatura de Luís Figo à presidência do organismo que superintende o futebol mundial, o líder portista retorquiu: "Um português na FIFA? Preferia um estrangeiro na FPF".

As últimas semanas ficaram marcadas pelas declarações de Jackson Martínez, dando conta da intenção de sair no final da época. Incomoda-o que ele tenha assumido essa vontade?

De todo. O Jackson foi, como sempre é, sério nas declarações que fez, até porque isso não foi assumido agora, foi assumido no ano passado quando renovámos o contrato. Assumimos nessa altura que, no verão, se aparecer um clube com determinada verba que acordámos, ele sairia. Estamos conscientes desde essa altura que ele poderia sair. Isso foi combinado há meses e, considerando a enorme qualidade dele, é natural que saia. Aliás, até já era para ter saído no ano passado, mas concordou em ficar mais uma época pela aposta que fizemos neste plantel e pela juventude da equipa, que precisava do equilíbrio garantido pela presença dele. De resto, tenho a certeza absoluta de que, se no último dia em que estiver no FC Porto ele tiver de enfrentar a equipa para onde hipoteticamente irá jogar a seguir, dará tudo para vencer.

Leia a entrevista completa no e-paper ou na edição impressa de O JOGO