Vaná: "O que aconteceu no Sporting suja a imagem do futebol português"

Vaná: "O que aconteceu no Sporting suja a imagem do futebol português"
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Guarda-redes do FC Porto seguiu à distância os incidentes em Alcochete e espera que as autoridades descubram os responsáveis.

Foi com tristeza que Vaná viu o que aconteceu, ontem, na Academia de Alcochete, onde um grupo de alegados adeptos do Sporting agrediram treinadores e jogadores dos leões. No entender do guarda-redes do FC Porto, que passou pelo aeroporto Francisco Sá Carneiro para ajudar Felipe (seguiu para São Paulo), o "futebol não é isso".

"É alegria, é levar a família ao estádio, é um espetáculo... o futebol movimenta muita coisa, mas nada de violência. Existe rivalidade, durante a semana vocês vão falando dos clássicos e isso é bom para levar as pessoas a assistirem ao jogo. Agora, as cenas de ontem são lamentáveis. Independentemente de serem rivais ou não. Isso não pode ser; é um absurdo. Mas isso também não são adeptos; são vândalos que se disfarçaram e apareceram ali no meio para fazer mal. É muito triste. Suja a imagem de Portugal e do futebol português. No Brasil também já vi disso e é triste", repetiu.

Vaná considera que "estas coisas têm de ser faladas", mas sublinha que "não se pode dar muito ênfase, porque o que eles [prevaricadores] querem é atenção". "Querem dizer que impõem respeito à base da força e o futebol não é por aí. Toda a gente quer ganhar, mas para uma equipa ganhar a outra tem de perder. Caso contrário o futebol só teria empates. Ninguém entra em campo para perder. Esse tipo de cobrança é inconcebível e é lamentável", reiterou.

Sobre a possibilidade de jogadores do Sporting faltarem à final da Taça de Portugal ou partirem para rescisões de contrato, o brasileiro vincou que "é uma decisão de cada um". "Prefiro não vou opinar. Graças a Deus nunca passei por isso e não quero passar. As autoridades têm é de descobrir quem foi e aplicar as penas necessárias", finalizou.