Premium Um a um do FC Porto: Soares na hora certa no relógio de Otávio

Um a um do FC Porto: Soares na hora certa no relógio de Otávio

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O que valeu o desempenho dos 14 jogadores utilizados por Sérgio Conceição no FC Porto-Braga, partida da 10ª jornada da I Liga que terminou com a vitória dos dragões, por 1-0. Um golo de Soares, após cruzamento de Otávio, colocou o FC Porto na liderança isolada

Casillas 6

Ficou com a baliza a abanar por duas ocasiões (55" e 77") e salvou a equipa de apuros em outras tantas (18" e 41"). No fim a experiência do espanhol prevaleceu para "matar" a reação bracarense.

Maxi 5

Obrigou Tiago Sá a aplicar-se para lhe travar um remate cruzado, num dos raros desequilíbrios criados no ataque. A defender, contudo, esteve bem no acompanhamento de Ricardo Horta até sair (63").

Felipe 6

Tentou afastar os dianteiros contrários da zona de finalização e só por uma vez Dyego Sousa cabeceou com espaço. Arriscou vários passes para Soares e Marega, mas em todos lhe saíram a preceito.

Éder Militão 7

Superou o teste aéreo e terrestre que lhe colocaram logo nos minutos iniciais e foi implacável nos duelos individuais. Aos 61", afastou da área um lance de potencial perigo.

Alex Telles 5

Concedeu espaços a Esgaio e este "castigou-o" com dois remates perigosos (um ao poste). Sem o fulgor de outras noites, teve, ainda assim, um par de cruzamentos sem consequências práticas.

Danilo 6

Assumiu a maior parte das despesas defensivas e ganhou a maior parte dos duelos que travou. No entanto, não é omnipresente e, por isso, nem sempre fechou o espaço para os centrais. Somou um remate de cabeça para fora.

Óliver 7

O aniversariante fartou-se de distribuir presentes, jogando quase sempre simples e de forma prática e deixou Marega em posição de remate por duas ocasiões. Foi dos pés dele que saiu o primeiro disparo do jogo (6") e a jogada que terminou com Brahimi a atirar para defesa de Tiago Sá. Não fosse o golo e seria o maior destaque da equipa.

Corona 6

O "mano a mano" com Sequeira foi dos mais interessantes de seguir - a finta aos 45" foi deliciosa - e não se pode dizer que o mexicano tenha saído a perder. Foi Tecatito quem mais bolas meteu na área, mesmo depois de ter recuado para lateral, função na qual não comprometeu.

Brahimi 5

A esquerda foi apenas um ponto de partida para outras zonas, principalmente interiores. Teve os melhores momentos na primeira parte, com uma arrancada finalizada com um passe para Soares e um remate para golo que Tiago Sá negou.

Marega 5

Foi um dos perdulários da noite, acertando por duas vezes em Bruno Viana e rematando outra vez para fora, após ter sido isolado por Óliver. Aos 38" serviu Brahimi, aos 76" Soares e aos 90"+2" quase fez autogolo.

Otávio 7

Entrou aos 63" para agitar com o jogo, principalmente nos minutos finais. Antes de servir Soares para o golo do jogo, ainda realizou uma arrancada que provocou calafrios aos bracarenses.

Herrera 5

Foi mais importante pelo auxílio defensivo do que pelos desequilíbrios causados no ataque.

Hernâni 5

Uma ou outra arrancada pela direita que perturbaram.

A FIGURA

SOARES 7

Golo tira-o do inferno e leva-o ao céu

O minuto 88 marca-lhe a exibição. O brasileiro não estava a ter uma noite de sonho. Muito longe disso. Havia participado em boas combinações com os companheiros, tinha lutado muito com os centrais bracarenses e os remates efetuados - todos no último quarto de hora - tinham conhecido invariavelmente o mesmo destino: a linha de fundo. Mas aquele salto por cima de Baiano e aquele cabeceamento para o fundo da baliza tiraram-no do inferno e levaram-no ao céu. Um momento decisivo no encontro e na liga, porque é graças a ele que o FC Porto é líder isolado.