Sérgio Conceição revela o que disse a Sérgio Oliveira: "E dei-lhe um abraço"

Sérgio Conceição revela o que disse a Sérgio Oliveira: "E dei-lhe um abraço"

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, abordou a conversa com Sérgio Oliveira em pleno relvado no final do jogo com o Varzim, da Taça da Liga

Sobre a conversa com o Sérgio Oliveira: "No dia seguinte fiquei estupefacto com um jornal e um jornalista... Falou sem saber, escreveu sem saber. O que eu fiz foi o que faço em muitos casos, algumas vezes com menos visibilidade. Nos momentos difíceis gosto de estar sempre com os meus jogadores. O que eu disse... Ele nas últimas semanas está com um espírito pouco positivo, por isso disse-lhe que confiava nele e que gostava dele. Ele pode confirmar isso. E dei-lhe um abraço. Durante aquele momento ele também foi dizendo algumas coisas e estivemos ali numa amena cavaqueira, esquecendo os holofotes... Eu vivo o momento sem pensar nas câmaras ou no que alguém possa estar a pensar no que estou a dizer, se estou a rezar o Pai Nosso ou Avé Maria. Isto acontece-me de forma instintiva. Fui ter com ele num momento difícil dele, fui dar-lhe a mão, dizer que são coisas que acontecem, que foi um momento negativo mas que ele tem o meu apoio. E, repito, disse-lhe que gosto dele... não é fácil, até os meus filhos queixam-se que não digo que gosto deles".

Estratégia: "Enquanto treinador tenho de demonstrar todo o meu apoio aos jogadores. Trabalhar de forma a que o Sérgio Oliveira esteja melhor e o Sérgio tem de fazer a parte dele, que é trabalhar com seriedade no treino e com máximo empenho, o que não tem faltado. Eu tenho a minha estratégia enquanto treinador, isso pode passar por não falar tanto com ele, estar mais afastado, são estratégias. Mas o que quero é que ele volte ao nível de outros tempos. Tenho de pensar em todos os jogadores, mas o que mais me preocupa chama-se equipa".

Capitão: "O Sérgio pareceu-me ser o jogador mais indicado para assumir a braçadeira no jogo frente ao Varzim. É um jogador que tem bastantes anos de FC Porto, conhece bem a equipa e tem alguns minutos esta época. E é normal que se tenha sentido bem com a braçadeira, é um orgulho para qualquer jogador ser capitão do FC Porto".