Sérgio Conceição: "Não mudamos o nosso jogo consoante o adversário"

Sérgio Conceição: "Não mudamos o nosso jogo consoante o adversário"

Treinador do FC Porto analisou o grupo dos dragões na Liga dos Campeões e as condições necessárias para o sucesso.

Sérgio Conceição foi entrevistado no magazine da Liga dos Campeões da UEFA e, quando questionado sobre o seu estilo enquanto treinador, destacou a importância que atribui à paixão que os seus jogadores devem demonstrar, referindo também que, "na maioria dos casos", o talento não chega para construir uma carreira.

"Os jogadores precisam antes de mais de ter qualidade, isso é fundamental. Tudo o resto pode ser trabalhado e melhorado. Porém, há mais um aspeto crucial que os jogadores não devem perder para chegar ao nível mais alto: paixão pelo jogo. Precisas de ser apaixonado pelo que fazes, sobretudo os jogadores de futebol e a sua abordagem ao treino. Quero que os meus jogadores sejam apaixonados pelo jogo", afiançou o técnico do FC Porto, completando logo depois:

"É possível que um jogador consiga ter uma carreira graças apenas ao seu talento, mas não existem muitos casos desses na história do futebol. Existem outras características essenciais que devem estar lado a lado com o talento para que um jogador tenha sucesso", acrescentou Conceição, que garante que o FC Porto tem uma filosofia de jogo bem definida.

"Não mudamos o nosso jogo consoante o adversário. Temos a nossa própria filosofia, a nossa identidade e o nosso estilo de jogo. Ainda assim, conhecer as forças e fraquezas do adversário é essencial para vencer um jogo. A estratégia tem a ver com o adversário, em certa medida, mas o mais importante é a nossa identidade", referiu, antes de analisar o grupo dos dragões na Champions, que conta com Lokomotiv Moscovo, Schalke 04 e Galatasaray:

"É similar ao da época passada. Vamos defrontar o campeão turco, o segundo classificado do campeonato alemão e o campeão russo. É um grupo muito equilibrado e qualquer equipa pode vencê-lo ou terminar em ultimo. Vai ser interessante, seguramente. As equipas têm um nível semelhante e a qualificação vai ser mais difícil devido a esse cenário", rematou Sérgio Conceição.