"Maxi será assobiado, insultado e provocado"

"Maxi será assobiado, insultado e provocado"
Carlos Pereira Santos/Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Defesa volta, amanhã, à Luz, agora como adversário. Quem passou pelo mesmo perspetiva-lhe um ambiente difícil

Maxi Pereira volta amanhã, pela primeira vez, ao Estádio da Luz, após a troca do Benfica pelo FC Porto durante o último defeso, e já sabe o que o espera. De nada vale tentar ignorá-lo. Sem qualquer impedimento que se saiba - cumpriu castigo na última jornada e não está lesionado -, o agora lateral dos dragões não tem como escapar, pelo que só lhe resta um caminho: encarar o "inferno" de frente. Maniche, Jankauskas e Yuran passaram pelo mesmo no passado e não tiveram outra solução. Uma "traição" destas não é esquecida facilmente pelos adeptos, pelo que o uruguaio deve preparar-se para um ambiente, no mínimo, difícil.

Maniche chegou à Invicta na ressaca de uma ligação ao Benfica com um fim atribulado, com o então médio a passar a maior parte da época de 2001/02 na equipa B. E, apesar de o reencontro com as águias só ter surgido na segunda volta do campeonato, o tempo não sarou algumas feridas. Por isso, não tem dúvidas de que "Maxi será assobiado, insultado e provocado" pelos benfiquistas, cuja admiração pelo internacional uruguaio se transformou em antipatia. No entanto, vê nele "um jogador experimentadíssimo", capaz de aguentar com tudo. "O Maxi está habituado a enfrentar estes ambientes quentes, como, por exemplo, se vê na Copa América. É um jogador com um espírito combativo elevadíssimo e vai estar à altura da situação", prevê.

LER A REPORTAGEM COM MANICHE, YURAN E JANKAUSKAS NA EDIÇÃO E-PAPER