Marega arrepende-se, pede desculpa e agora vai renovar

Marega arrepende-se, pede desculpa e agora vai renovar
André Morais

Tópicos

O maliano vai reunir-se em breve com a SAD para formalizar o vínculo que negociou antes de ser afastado do plantel principal.

Marega arrependeu-se, pediu desculpa, foi integrado no plantel, voltou a jogar e agora... vai renovar. O maliano está decidido a aceitar a proposta que o FC Porto lhe fez e que o seu empresário negociara antes ainda da confusão que ditou o afastamento dos trabalhos da primeira equipa a 2 de agosto. Há alguns pormenores para clarificar e um ou outro acerto que o avançado quer fazer no contrato oferecido por Pinto da Costa, mas é seguro que a renovação vai avançar e será assinada muito em breve, eventualmente até ao final do mês. Mas essa é uma questão que depende de muitas outras, entre as quais a disponibilidade da SAD, que tem apenas mais quatro dias para finalizar alguns dossiês relativos ao fecho do mercado, entre potenciais reforços e vários jogadores para emprestar ou vender.

Certo, por esta altura, é que o avançado vai mesmo continuar no plantel e assinar o novo vínculo, que deve contemplar o prolongamento da duração do mesmo em mais um ou dois anos (até 2021 ou 2022, portanto), uma revisão da cláusula de rescisão (atualmente cifrada em 40 milhões de euros) e, claro, uma subida do salário anual, que o FC Porto entende justificar-se porque Marega está num patamar muito inferior à maioria dos colegas.

O jogador foi contratado em janeiro de 2016 ao Marítimo. Até hoje nunca renovou, o que significa que manteve um salário abaixo de boa parte dos seus colegas no FC Porto. A extensão do vínculo nunca foi pensada antes da época transata, tais as dificuldades que o africano teve em impor-se no FC Porto. A boa época na cedência ao V. Guimarães fez disparar a sua cotação e a renovação começou a ser pensada nessa fase. Contudo, sempre sem pressas, porque o jogador estava seguro até 2020 e não tinha valor de mercado suficiente para que a SAD portista pudesse ser pressionada. Entretanto, Marega virou uma das figuras principais do FC Porto campeão nacional 2017/18 e as coisas mudaram. Perante a obrigatoriedade de negociar primeiro com colegas que terminavam em 2018 ou até em 2019, Marega foi sendo adiado, mas em julho chegou-se a um entendimento que satisfazia todas as partes, como o próprio Pinto da Costa confirmou ao nosso jornal. Apesar disso, nem jogador nem empresário assinaram e o que se seguiu foi o que já todos sabem. Completa que está a reintegração do jogador, novamente empenhado e com o foco no FC Porto, a renovação volta a estar em cima da mesa, pois Marega sabe que é essa a única solução para subir uns degraus no salário anual e, também dessa forma, ser premiado pelo que tem ajudado os dragões nos últimos 12 meses.