Hulk e a saída do FC Porto: "Pressionei, disse que estava na hora de ser transferido"

Hulk e a saída do FC Porto: "Pressionei, disse que estava na hora de ser transferido"

Brasileiro recordou, em entrevista ao Porto Canal, os últimos anos ao serviço do FC Porto, clube que trocou pelo Zenit em 2013.

Supertaça Europeia frente ao Barcelona: "Entrámos muito bem, fiz um jogada com o Abidal e a bola tira tinta da trave. Depois aconteceu aquele episódio com o Guarín a recuar para o Helton e vem aquele menino de cabeça para baixo, um presentão para o Messi. Mesmo assim continuámos em cima, há um penálti escandaloso - se houvesse VAR - sobre o Guarín que não marcam. Depois fizeram o 2-0 perto do fim".

Depois de estar a cinco pontos, chega à Luz empatado e ganha lá outra vez com o golo do Maicon: "Mais um grande momento e um dos grandes golos que fiz. Ao Benfica foi o mais bonito mesmo. Era o Artur, mas podia ser qualquer guarda-redes ali que era golo..."

Campeão no sofá em 2011/12: "Estava a jantar num restaurante. O Acácia liga a dizer que tinha de ir para o Dragão para comemorar porque o Benfica tinha empatado. Fui buscar a família e a festa foi espetacular na varanda".

Apenas quatro jogos em 2012/13 e saída do FC Porto: "Fui para a seleção a pensar que voltava. Recebi um telefonema e aconteceu de sair para o Zenit. Pressionava o Antero, dizia que estava na hora de ser transferido, para ter um novo desafio, e ele dizia que tinha de ficar, renovar contrato, que tinham dois jogadores para vender, creio que o Moutinho e o James, mas acabaram por não sair. A única proposta foi por mim e o único mercado aberto era o russo. Disseram que podia salvar o FC Porto, senão ficava numa situação complicada. Eu queria um novo desafio, o FC Porto precisava e saí".