Francisco J. Marques enumera casos e afirma: "É sobre isto que o Benfica devia ter uma palavra"

Francisco J. Marques enumera casos e afirma: "É sobre isto que o Benfica devia ter uma palavra"

Diretor de comunicação e informação do FC Porto reagiu à detenção do alegado hacker do Benfica.

Francisco J. Marques abordou na noite desta quinta-feira a detenção do alegado hacker do Benfica, voltando a garantir que o FC Porto jamais pagaria para ter acesso à informação e explicando como teve acesso aos emails. O diretor de comunicação e informação do FC Porto vinca que há muita coisa que o Benfica devia explicar.

"Suspeitas de corrupção ativa na atividade desportiva, tráfico de influências. Um conhecido político português começou a cumprir pena por tráfico de influências. Temos o caso e-Toupeira, violação do segredo de justiça. Temos um funcionário judicial e na altura um funcionário do Benfica julgados. Temos suspeitos de pagamentos para perder. Temos corrupção a adversários do FC Porto, pagar a adversários para tirarem pontos do FC Porto, Aves, V. Setúbal, Paços de Ferreira, Marítimo. Corrupção a adversários do Sporting, ainda o Aves através de empréstimos encapotados, lavagem dinheiro, fraude fiscal, o célebre Caso dos Vouchers. E mais um: o Caso Lex. Vieira e Fernando Tavares estão constituídos arguidos. É sobretudo sobre isto que o Benfica devia ter uma palavra, até hoje não explicou. É muita coisa que importa investigar, com os meios possíveis para chegar a conclusões", afirmou no Porto Canal.