Francisco J. Marques: "Esta meia-final vai começar ferida de verdade desportiva"

Francisco J. Marques: "Esta meia-final vai começar ferida de verdade desportiva"

Diretor de comunicação e informação do FC Porto considera que Fábio Coentrão e Mathieu não deviam estar disponíveis para o Clássico da Taça da Liga.

Sporting e FC Porto disputam quarta-feira uma vaga na final da Taça da Liga, onde já está o Vitória de Setúbal, que venceu a Oliveirense por 2-0. Francisco J. Marques abordou o duelo e apontou para Fábio Coentrão e Mathieu, dois jogadores que, considerou, não deviam estar disponíveis para o Clássico.

"Sei que uma das equipas vai poder utilizar dois jogadores que não devia poder. Esta meia-final vai começar ferida de verdade desportiva. Fábio Martins e Mathieu deveriam estar impedidos porque deviam ter sido expulsos contra o V. Setúbal. Ambos os lances no final da partida. O Mathieu não tenta disputar a bola e derruba o jogador do V. Setúbal, nestes casos as leis dizem que deve ser mostrado o vermelho. O que sucedeu a seguir é ainda mais grave: o comportamento de Fábio Coentrão é inacreditável e impossível que o árbitro não tenha percebido. Está a insultá-lo e mais do que os insultos é ofensivo constatar a diferença de critérios deste árbitro. Na Vila da Feira há um lance em que o Marcano se queixou de uma falta, protestou e o árbitro apitou, marcou uma falta perigosa contra o FC Porto e admoestou o Marcano com um amarelo. Se acha que deve interromper um jogo por um jogador protestar porque é que quando é insultado daquela forma não toma qualquer atitude? Mais: foi este o árbitro que expulsou um jogador do V. Guimarães e outro do Marítimo porque se envolveram em insultos um com o outro", afirmou o diretor de comunicação e informação do FC Porto.

"Para que as nossas competições sejam claras e tenham igualdade de oportunidades para todos os competidores, eles têm de ser tratados da mesma forma. O senhor Fábio Veríssimo teve uma atitude de proteção em relação ao Fábio Coentrão e ao Mathieu. Infelizmente, a meia-final ainda não começou e já está ferida da sua verdade desportiva. E os árbitros são os seus guardiões e os primeiros que a deviam defender", completou, no programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal.