Francisco J. Marques, a detenção de Rui Pinto e os emails: "Jamais o FC Porto pagaria para isso"

Francisco J. Marques, a detenção de Rui Pinto e os emails: "Jamais o FC Porto pagaria para isso"

Diretor de comunicação e informação do FC Porto reiterou que o clube azul e branco não tem qualquer ligação ao alegado hacker que foi detido em Budapeste, na Hungria.

Detenção de Rui Pinto: "Nós não sabemos se o Rui Pinto é o hacker dos famosos emails do Benfica. O Benfica começou a insinuar isso há algum tempo, desde as primeiras notícias que ligavam o Rui Pinto aos emails. Ontem [quarta-feira], a detenção acelerou isso e hoje [quinta-feira], na 'News Benfica', foi absolutamente claro. Não temos a certeza de nada. Agora sabe-se que o mandado de detenção tem a ver com o Football Leaks. Não sabemos se os emails do Benfica foram hackeados pelo Rui Pinto".

Posição do FC Porto: "Importa repetir que o FC Porto nada tem a ver com isto. Eu recebi os emails e não corro o risco de contar uma história diferente daquela que já contei. Recebi um email com uma célebre cartilha, em março ou abril de há dois anos, a dizer 'veja isto, veja se lhe interessa'. Recebi os emails em grande quantidade, fizemos a divulgação conhecida ao abrigo do serviço público. Era importante que os portugueses soubessem o que se passava no futebol português. Havia correspondência que o interesse público poderia justificar que fosse divulgada, dissemos que o Benfica tinha na sua posse dados de árbitros de futebol, mas nunca fizemos essa divulgação, de imagens, de fotografias, nunca quebrámos o direito à privacidade de pessoas que nada tinham a ver com o caso".

Entrega dos dados à Polícia Judiciária (PJ): "Disponibilizámos todo o material que fomos recebendo à PJ. Foram três ou quatro entregas. No dia em que fui à Federação para ser ouvido no âmbito de um processo do Conselho de Disciplina, entreguei uma parte junto ao estabelecimento prisional de Caxias, num descampado, com carros estacionados e sacos de provas... Depois há mais uma entrega por WeTransfer, foi sempre à medida daquilo que íamos recebendo. Não sabemos quem é a pessoa que nos fez chegar o material, nem pagámos. Aliás, nunca pagaríamos. Depois fomos contactados para nos oferecerem serviços a troco de dinheiro. Jamais o FC Porto pagaria para isso. Seja o Rui Pinto ou não, o FC Porto não fez qualquer pagamento, fizemos divulgações de algo muito grave, e foi à custa disso que se desencadeou uma série de coisas. Este gigantesco caso tem de contribuir para uma limpeza do futebol português. O FC Porto nada tem a ver com isto".

Investigações e reação do Benfica: "As autoridades iniciaram várias investigações. Hoje em dia, além do processo E-Toupeira, que é uma consequência do caso dos emails, estão em curso outras investigações, tudo com origem nas divulgações que fizemos aqui [Porto Canal] e da entrega de emails que fizemos à PJ e à Unidade de Combate à Corrupção. Mais do que estarmos a discutir a detenção do Rui Pinto, importava o Benfica explicar todas as situações em que se encontra envolvido".