"Estou feliz num clube tão grande como o FC Porto"

"Estou feliz num clube tão grande como o FC Porto"
António M. Soares

Tópicos

Extremo foi titular no empate diante da Venezuela e foi elogiado por Carlos Queiroz, selecionador dos cafeteros. Prometeu continuar a dar o seu melhor no FC Porto. Uribe entrou na segunda parte.

Luis Díaz promete regressar ao FC Porto mais motivado do que nunca depois dos dois particulares, com Brasil e Venezuela, disputados com as cores da Colômbia. Antes de embarcar de volta ao Porto, o avançado reconheceu sentir-se já praticamente em casa no Dragão.

"Sinto-me muito bem na minha equipa, estou feliz por estar num clube tão grande como o FC Porto. Da minha parte, estou a procurar dar o melhor, tenho de fazer o melhor possível. Agora, há que continuar a trabalhar", apontou. Da seleção, Díaz só traz mais motivos para crescer e Carlos Queiroz tem-lhe dado apoio: "Ele confia muito em mim e sempre que tem uma oportunidade para conversarmos motiva-me, diz que tenho grandes qualidades, que tenho grandes capacidades para ajudar a seleção, como outros jogadores", referiu o portista.

E depois do empate sem golos com a Venezuela, o selecionador colombiano voltou a elogiar o reforço dos dragões. "Na primeira parte a equipa complementou-se muito bem. O Luis Díaz e o Orlando Berrio jogaram bem e complementaram-se com o Cuadrado e o Yairo, que foram os melhores em campo", analisou.

Díaz esteve perto de marcar por duas vezes, num remate cruzado que o guarda-redes travou e num lance em que surgiu isolado. "Vou um pouco desanimado por não ter marcado esse golo. Teríamos ganho o jogo ou poderíamos ter feito algo mais. Mas tenho de aproveitar as coisas boas e aprender com os erros. A bola adiantou-se um pouco, quando tentei sair para o ataque, mas são situações do jogo em que temos de decidir. A verdade é que falhámos muito na finalização neste jogo, apesar de termos tido umas quantas oportunidades para marcar", atirou o colombiano, que já soma dois golos com a camisola do FC Porto, ao Krasnodar e ao V. Setúbal.

O outro portista na seleção da Colômbia, Uribe, que tinha sido titular contra o Brasil, desta vez começou no banco de suplentes, tendo entrado no último quarto de hora para o lugar de Rafael Borre.