Corona não pensa em deixar o FC Porto e atira: "Até a central jogo"

Corona não pensa em deixar o FC Porto e atira: "Até a central jogo"
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Mexicano explica que está a adaptar-se à nova posição, de lateral-direito, mas que não tem problemas em desempenhá-la.

Formatado desde a juventude para jogar na linha ofensiva, fosse como extremo ou segundo avançado, Corona assume-se agora como o jogador que mais garantias dá a Sérgio Conceição para desempenhar as funções de... lateral-direito.

A adaptação tem despertado curiosidade na Imprensa mexicana, que ainda no particular com os Estados Unidos o viu destacar-se na posição que mais gosta de jogar (ala) com uma assistência para golo. Mas Tecatito encara sem problemas a opção do treinador do FC Porto.

"Ainda estou a habituar-me à posição, mas, quando se fazem as coisas com paixão, elas acabam por acontecer naturalmente", afirmou, em entrevista à "TV Azteca", antes de explicar como se deu este recuo no terreno. "Foi algo repentino e improvisado na última época. Não sei se alguém se lesionou e não havia ninguém no banco, mas joguei 30 minutos, fiz bem as coisas e a partir daí [Sérgio Conceição] começou a pensar nisso. Foi-me lançando mais vezes e, da minha parte, só quero é jogar. Não digo que seja a minha posição, mas até a central jogo se isso me colocar a jogar", afiançou.

Com contrato renovado recentemente, Corona garantiu que não pensa deixar o FC Porto. "Estou no clube com muito gosto. Todos gostam de sair da sua zona de conforto, mas, nesta altura, seria prematuro pensar em outro clube. Primeiro espero fazer as coisas bem e depois ver o que chega", indicou o mexicano, que não muda de ideias pelo facto de não ter mais compatriotas na Invicta.

"As pessoas do clube deram-me sempre uma grande ajuda e estarei sempre agradecido por isso. Ajudaram-me a crescer e a acostumar-me à cultura do país. Agora estou bem dentro e fora do campo", assegurou, embora não esconda o sonho de um dia regressar ao México ou de jogar na MLS. "Mas, por enquanto, quero continuar na Europa mais dois ou três anos", acrescentou.

De regresso à seleção após uma ausência prolongada, Corona esclareceu que esta se deveu "a uma falha de comunicação". "Na altura tinha uma lesão grave no tornozelo, confirmaram-me que tinha de fazer tratamento e decidi ficar a fazê-lo porque tinha os quartos da Champions, o fim da temporada do FC Porto, que era importante, e, sobretudo, queria recuperar bem nessas duas semanas para estar na Gold Cup. Era algo que beneficiaria todos", sustentou Tecatito, negando que tenha sido Conceição quem o proibiu de viajar. "A decisão foi toda minha. Em viagens perdia três dias e seis tratamentos. Então optei assim. Deveria ter falado diretamente com o professor "Tata" [Martino]", lamentou.