APAF contesta tarja dos Super Dragões e pede responsabilidades

APAF contesta tarja dos Super Dragões e pede responsabilidades

Episódio ocotrreu no início da segunda parte do encontro entre FC Porto e Sporting.

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) repudiou a irónica tarja exibida ao intervalo do FC Porto-Sporting, considerando que a personificação do insucesso desportivo nos árbitros é "um exemplo da falta de cultura desportiva".

No arranque da segunda parte do jogo no Estádio do Dragão, no Porto, entre FC Porto e Sporting, da 34.ª e última jornada da I Liga, que os azuis e brancos venceram por 2-1, a principal claque do clube portuense exibiu uma tarja com o onze do novo campeão nacional, em que os rostos que preenchiam a foto do Benfica eram, na sua maioria, de árbitros. A saber: Tiago Martins (árbitro do Braga-Benfica), Luís Godinho (VAR do Rio Ave-Benfica), João Pinheiro (árbitro no Feirense-Benfica e VAR em Braga), Bruno Rodrigues (assistente no Feirense-Benfica), António Costa (primeiro-ministro), Ana Peres (juíza do caso e-Toupeira), Hugo Miguel (árbitro do Rio Ave-Benfica), Bruno Esteves (VAR), César Boaventura (agente), Fábio Veríssimo (árbitro) e Bruno Paixão (VAR do Feirense-Benfica).

Durante largos minutos, a tarja, ladeada por outras menores, em preto, como forma de luto, foi sacudida pelos adeptos, enquanto se entoavam os cânticos contra o rival Benfica e novo campeão nacional, sob o aplauso da generalidade dos adeptos presentes no estádio.

Em comunicado, a APAF disse que "não pode deixar de repudiar a tarja" e fala "em leviandade com que a culpa do insucesso desportivo é caracterizada e personificada", considerando-a "mais um exemplo da falta de cultura desportiva patente no futebol em Portugal".

"Acreditamos que uma instituição como o FC Porto não se pode rever neste triste episódio e que irá apurar responsabilidades junto da sua principal claque", pode ainda ler-se no comunicado.