Hat-trick de Jackson, que iguala feito de Jardel

Hat-trick de Jackson, que iguala feito de Jardel

O colombiano Jackson Martinez foi pelo terceiro ano consecutivo o rei dos golos da I Liga, igualando a proeza única de Mario Jardel, melhor marcador nas três primeiras épocas em Portugal.

Depois dos 26 golos na estreia, em 2012/13, e dos 20 na temporada transata, o avançado do FC Porto apontou desta vez 21, sendo que disputou 30 encontros em cada campeonato -- só falhou quatro jogos, todos em 2014/15, devido a lesão.

Jackson totaliza 67 tentos, contra os 92 de Jardel, também ao serviço dos dragões, entre 1996/97 e 98/99: o brasileiro também foi o melhor marcador nas outras duas épocas em Portugal, com 38 (1999/00) e 42 (2001/02, pelo Sporting).

Jackson já fez história no campeonato luso, isolando-se no sexto lugar ranking de melhores marcadores, com três troféus, apenas atrás de Eusébio (sete), Peyroteo e Fernando Gomes (ambos com seis) e José Águas e Mário Jardel (os dois com cinco).

O triunfo do internacional colombiano acabou por ser mais difícil do que parecia no fim da primeira volta (já somava 14), face à recuperação dos benfiquistas Jonas e Lima, que terminaram a prova com 20 e 19 tentos, respetivamente.

Logo a seguir, no quarto posto, ficou o melhor português, o avançado Marco Matias, do Nacional, que tinha como recorde os seis tentos de 2013/14, pelo Vitória de Guimarães, e chegou aos 17, a melhor marca de um futebolista luso desde os 18 de Simão Sabrosa, pelo Benfica, em 2002/03.

Em termos coletivos, e apoiado na dupla Lima/Jonas, que apontou 29 golos na segunda volta, o Benfica foi o melhor ataque, com 86 tentos, um novo recorde em campeonatos a 18 clubes, superando os 85 do FC Porto em 1998/99.

O FC Porto, com 74 golos, e o Sporting, com 67, secundaram os encarnados, enquanto o V.Setúbal foi a equipa menos concretizadora, ao ficar-se pelos 24, apenas menos um do que o Gil Vicente.

Em termos globais, a edição 2014/15 registou um total de 763 golos, à média de 2,49 por encontro, superior aos 2,37 da época transata (569, em 240 jogos), mas inferior aos 'imponentes' 2,78 de 2013/14 (667, também em 240 embates).