Grujic: os elogios a Sérgio Conceição, ao futebol português e a memória da Champions

Grujic: os elogios a Sérgio Conceição, ao futebol português e a memória da Champions

Médio sérvio passou em revista a época ao serviço do FC Porto.

Marko Grujic foi ganhado espaço no plantel do FC Porto no decorrer da última temporada. O médio começou por ser opção de recurso, mas, com o acumular de jogos e fruto de boas exibições, acabou por terminar a época em boa forma, algo que até levou os adeptos azuis e brancos a apelarem à sua continuidade no Dragão.

Esse é um tema que, por agora, não preocupa o internacional sérvio, que planeia apresentar-se no Liverpool, clube com o qual tem contrato, ainda que a vontade seja voltar a vestir de azul e branco. Da passagem pelo FC Porto, fica a aprendizagem com Sérgio Conceição, treinador que elogia e a quem antevê um futuro brilhante.

"Conquistou dois campeonatos em Portugal nos últimos quatro anos. Também esteve bem na Champions, chegámos aos quartos de final, onde jogámos contra o Chelsea. Ele [Sérgio Conceiçao] jogou em Itália, então foi agregando ideias táticas. Todos dizem que nos próximos anos será um dos principais treinadores do futebol europeu", começou por referir Grujic, em entrevista ao jornal Sportske, em que também destacou a qualidade do futebol português.

"Eu tive de habituar-me às exigências de Conceição, mas também às exigências da própria Liga. Não conhecia os outros clubes tão bem. Toda a gente acompanha os três grandes, juntamente com Braga e V. Guimarães. Os outros clubes são subestimados por jogadores e analistas. O campeonato não é nada ingénuo, tem muita intensidade, é jogado de forma rápida. Existem muitos jogadores da América do Sul, todos sabemos como são. Adaptei-me e na segunda metade da época correu tudo bem para mim", acrescentou o centrocampista, de 25 anos, sem esquecer a campanha do FC Porto na Liga dos Campeões, em que tombou diante do Chelsea - que viria mesmo a sagrar-se campeão europeu -, nos quartos de final da prova.

"Estivemos muito bem na Champions. Passámos um grupo com Manchester City, Marselha e Olympiacos com relativa facilidade. Esperávamos lutar pelo segundo lugar com Marselha e Olympiacos e, com 12 pontos nos jogos com essas equipas passámos em segundo lugar. Aí deparámo-nos com a Juventus, que era favorita, mas sabíamos que podíamos jogar olhos nos olhos taticaments. Nos momentos certos marcámos golos e, com uma pequena dose de sorte, fomos ainda mais longe", recordou Grujic.