Francisco J. Marques: "FC Porto não está refém do fair-play financeiro e vai contratar"

Francisco J. Marques: "FC Porto não está refém do fair-play financeiro e vai contratar"

O diretor de comunicações dos dragões respondeu a Fernando Seara

Francisco J. Marques negou a ideia de que o FC Porto está proibido de contratar jogadores até 30 de junho por culpa das restrições do fair-play financeiro. Fernando Seara, comentador afeto ao Benfica, afirmou que esse é motivo pelo qual os dragões não vão tentar assegurar qualquer jogador do Sporting, e o diretor de comunicação do FC Porto respondeu.

"O FC Porto informou que não iria aproveitar-se deste momento de eventual fragilidade do Sporting. E fê-lo por ética desportiva, mas para os lados do Benfica isso não existe. De cabeça lembro-me de com Jorge Gonçalves (Sporting) e Jorge Brito (Benfica), e o FC Porto nunca se aproveitou de rescisões de contrato. Já contratou ao Benfica e ao Sporting, jogadores que terminavam contrato. Já respondeu ataques de rivais como Jaime Pacheco e Sousa que respondemos com o Futre. Fernando Seara parte de uma mentira que o FC Porto não pode contratar por causa do fair-play", frisou Francisco J. Marques, no programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal.

"Importa esclarecer os nossos adeptos e vamos contratar. As regras a que estamos sujeitos são as seguintes: o FC Porto pode gastar o mesmo do que faz em transferências. No ano passado fez 63 milhões de euros, podia ter gasto, sem entrar em incumprimento, 63 milhões. Não o fez por decisão da administração para equilibrar as finanças, foi preciso apertar o cinto, contratou.-se um treinador que fez render jogadores que não tinham rendido antes e neste momento o FC Porto já pode gastar 34 milhões de euros, 22 milhões do Ricardo Pereira, porque aos 20 já se pode acrescentar mais dois que estão garantidos. E pode atingir os 25. E ainda 12 milhões do Boly, porque o Wolverhampton já acionou a opção. Não estou a dizer que vai gastar esse valor, mas pode gastar se quiser", acrescentou o porta-voz do FC Porto, com otimismo para a próxima temporada.

"O objetivo é sempre procurar passar a ideia que o FC Porto está refém do fair-play, mas não está. Estamos a sair do aperto financeiro. No próximo ano terá menos aperto e vamos ter uma equipa tão ou mais forte do que este ano. Quase que aposto que é isso que vai acontecer.