"Com o FC Porto, é canela até ao pescoço"

"Com o FC Porto, é canela até ao pescoço"

O diretor de comunicação e informação do FC Porto, Francisco J. Marques, abordou a postura do Tondela no jogo com o Benfica.

Francisco J. Marques traçou comparações entre a postura do Tondela nos jogos com Benfica e FC Porto, realçando que a formação do distrito de Viseu "foi uma equipa hospitaleira" na receção ao clube da Luz - as águias venceram por 5-1.

"O Tondela foi uma equipa hospitaleira ao receber o Benfica. À entrada desta jornada, [o Tondela] era a equipa com maior número de faltas por jogo; tinha uma média de 19,5. Com o Benfica só cometeu oito faltas. Isto é de uma hospitalidade... No jogo com o FC Porto cometeu 21 faltas, ou seja, até acima da média. Quando joga com o FC Porto, é canela até ao pescoço. Mas tratou muito bem a visita ao Benfica", salientou o diretor de comunicação e informação do FC Porto, no programa Universo Porto da Bancada.

Pedro Guerra também foi visado por Francisco J. Marques. "O discurso de Pedro Guerra é de alguém que vive noutro mundo, numa outra realidade, uma realidade paralela, em que ele procura comparar-se a Marcelo Rebelo de Sousa no seu tempo de comentador. Convém não esquecer que é de uma conversa entre Adão Mendes e Pedro Guerra que surgem as célebres expressões dos padres. E o ónus da questão é esse e só pertence a um clube: ao Benfica. O Pedro Guerra insinuou que era o FC Porto que estava a fazer estas revelações. Mas não somos nós. Nós nunca escondemos o que tínhamos e foi entregue à PJ. Imagino que a PJ faça download dos e-mails e que não tenha medo do comunicado do Benfica. Já nos propuseram pagar por algumas coisas, mas nunca o faremos; nem por isto, nem por nada. O que é colocado na internet revela práticas ilegais e vamos continuar a denunciar. Esse será sempre o nosso compromisso, quer o Pedro Guerra goste ou não", acrescentou.