Fernando Gomes anuncia reembolso antecipado de um empréstimo obrigacionista

Fernando Gomes anuncia reembolso antecipado de um empréstimo obrigacionista
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Declarações de Fernando Gomes, administrador da SAD do FC Porto para a área financeira, durante uma conferência de imprensa promovida na manhã desta segunda-feira.

Saída do fair play financeiro: "Estão criadas todas as condições para que o FC Porto possa terminar este ano. Se não houver nenhum sobressalto até ao final da época, assim vai acontecer. O primeiro semestre correu bem, tivemos um lucro líquido de 36 milhões de euros, esperamos na segunda parte do exercício algumas transferências que estão previstas, como o Danilo e o Vitinha, e acontecendo isso, com a época a terminar como esperamos que termine, vamos poder poder dizer fim às exigências do fair play financeiro."

Dinheiro em transferências: "Para tudo correr como desejamos, com a margem de lucro que tínhamos no nosso orçamento, ainda precisamos de fazer qualquer coisa como 38 milhões de euros de mais-valias até ao final da época. O que, praticamente, o Danilo e o Vitinha garantiram. Nós ficamos relativamente tranquilos."

Empréstimos obrigacionistas: "Neste momento, a administração do FC Porto conseguiu congregar os meios indispensáveis para pagar nos próximos dias os 35 milhões de euros que foram adiados há um ano. Mesmo com a banca fechada para este tipo de apoio, o FC Porto conseguiu os meios indispensáveis para pagar os 35 milhões nos primeiros dias do mês de maio e simultaneamente ir ao mercado lançar um novo empréstimo obrigacionista de 35 milhões, com uma taxa de juro incrementada. Não posso dizer exatamente a data, mas seguramente na primeira semana do mês de maio."

Segundo empréstimo a terminar em junho de 2021: "Vamos repetir a autorização. Desejamos que este corra bem e depois pagamos os outros 35 milhões de euros e vamos ao mercado fazer um novo lançamento. O primeiro é feito em maio, esperamos que tudo corra bem e depois vamos ao mercado colocar mais 35 milhões. Os empréstimos obrigacionistas totais do FC Porto são, neste momento, 70 milhões e queremos que eles se mantenham assim, em duas tranches de 35. O que acontecerá é que, por via do adiamento de um ano do primeiro, temos as datas de ambos a coincidirem. Um deles será de dois anos e meio para não coincidirem."

Aumentar a taxa de juro do novo empréstimo: "Vamos incrementá-la, mas está em aprovação e precisamos de autorização da CMVM. O que desejaríamos era que subisse de 4,25% para 4,75%, mas temos de esperar que a CMVM autorize o prospeto que está a ser ultimado. Dentro desta semana fica resolvido. Este incremento trata-se de uma compensação, porque os obrigacionistas foram fantásticos e não regatearam o apoio ao FC Porto para prorrogar por um ano este empréstimo de 0,5 pontos percentuais. O que vai acontecer é que uma taxa de juro que já era interessante passará a ser interessantíssima. Há um aumento das responsabilidades financeiras do FC Porto, mas assumimos isso como um prémio para os que nos apoiaram."