Premium FC Porto um a um em Paços: ele encontrou o ouro e depois protegeu-o

FC Porto um a um em Paços: ele encontrou o ouro e depois protegeu-o
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Confira as notas atribuídas por O JOGO aos jogadores do FC Porto na vitória por 1-0 em Paços de Ferreira, encontro da jornada 29 do campeonato.

Marchesín 7
Três defesas mantiveram a baliza fechada pelo terceiro jogo seguido: primeiro, segurou o disparo de Hélder Ferreira; depois, opôs-se ao tiro de Luiz Carlos e a acabar voou para negar os festejos a Jorge Silva. Na saída de bola longa bateu com insistência para a esquerda.

Manafá 6
O cabeceamento permitido a Luiz Carlos, na segunda parte, terá sido a maior desatenção, numa exibição positiva a defender, marcada por cortes e desarmes preciosos. Experimentou algumas incursões pelo flanco e tirou dois cruzamentos ameaçadores.

Pepe 7
O golo de Mbemba marcou a diferença entre ambos, uma vez que o desempenho foi muito idêntico. O português não deu veleidades aos atacantes pacenses e aos 65" ofereceu o corpo a um disparo perigoso de Marcelo.

Alex Telles 6
O puxão de orelhas que Sérgio Conceição lhe deu aos 10" acordou-o e, a partir daí, não mais facilitou a defender. Atacou pouco, é certo, mas o futebol desligado da equipa também não permitia grandes aventuras. Bateu o canto que deu o golo.

Danilo 6
Recompôs-se de um mau passe no arranque do jogo e formou com Mbemba e Pepe um bloco central impenetrável. Ganhou a maior parte dos duelos que disputou, somou três desarmes e duas interceções. Só pecou na saída para o ataque.

Uribe 5
Entrou em pezinhos de lã, mas com o tempo lá entendeu que o jogo pedia outra agressividade. Ainda assim, os problemas para ligar o futebol portista mantiveram-se, até porque raramente teve tempo para segurar, rodar e procurar o sector ofensivo. Foi substituído aos 87".

Otávio 5
Deslocado da direita para o meio aos 30", sentiu muitas dificuldades para pegar no jogo face à pressão pacense e isso dificultou a saída de bola organizada dos portistas. Saiu aos 79", após um passe que deixou Luis Díaz isolado.

Corona 6
Andou pelos dois flancos e, mesmo uns furos abaixo em relação aos últimos jogos, foi o único do sector ofensivo capaz de sacar um coelho da cartola. Saiu quando o mais importante era defender a vantagem.

Marega 5
Foi dos que mais se ressentiram dos problemas da equipa para fazer chegar a bola ao ataque, e nem sequer gozou de uma oportunidade para rematar. No entanto, deu uma importante ajuda a defender e, a terminar, não foi nada egoísta, tentando oferecer um golo a Fábio Vieira.

Soares 5
Serviu de referência para a saída longa da equipa, ganhando a maior parte dos duelos aéreos ao lateral-direito Jorge Silva, mas os únicos lances de perigo que criou foram anulados por fora de jogo. Aos 59", cabeceou para defesa fácil do guarda-redes. Saiu aos 69".