FC Porto tem saída de Felipe Anderson e Nakajima em cima da mesa

FC Porto tem saída de Felipe Anderson e Nakajima em cima da mesa
André Morais

Tópicos

Os dois extremos têm ficado sucessivamente fora dos convocados de Sérgio Conceição e estudam alternativas. Dragões procuram um novo extremo para o plantel.

Shoya Nakajima e Felipe Anderson são cada vez menos relevantes nas escolhas de Sérgio Conceição e podem deixar o FC Porto na janela de mercado de inverno.

Os dois extremos nunca foram primeira opção, mas perderam decisivamente espaço em dezembro e há algum tempo que nem no banco se sentam. Com o interesse em Pepê bem vivo, o FC Porto não dificultará a saída de qualquer um dos dois, ainda que esteja decidido a acautelar o investimento feito no japonês quando adquiriu 50 por cento do passe por 12 milhões de euros. Ainda assim, para que mais decisões possam ser tomadas, é necessário que o reforço do plantel esteja acautelado, até porque só há mais três extremos de raiz: Corona, Luis Díaz e o jovem João Mário.

Nesta altura, Nakajima e Felipe Anderson também não veem com maus olhos a mudança de clube e as pessoas que gerem as respetivas carreiras estão atentas e a estudar alternativas. Um e outro querem ser mais úteis do que está a acontecer, até porque nenhum vê perspetivas de cumprir aquilo a que se propôs. O japonês, que se autoexcluiu do plantel na reta final da temporada passada até perdeu o lugar na seleção do Japão e não joga com regularidade há quase um ano. Felipe Anderson pensava relançar a carreira depois de um mau ano no West Ham e queria aproveitar a Liga dos Campeões, mas só jogou em Atenas, na última jornada da fase de grupos, já com a equipa apurada.

Na segunda-feira, o jornal inglês "The Guardian" dava conta que o próprio West Ham, que emprestou o jogador ao FC Porto, estava interessado em chamá-lo de volta para o reemprestar a outro clube e, assim, tentar valorizá-lo, com o intuito de o vender no verão. Sérgio Conceição utilizou-o em cinco ocasiões, nunca a tempo inteiro.

Já Nakajima foi mais utilizado neste terço de época já disputado: nove desafios, duas titularidades e também uma assistência, contra o Gil Vicente, para o campeonato. Mas também ele desapareceu em dezembro depois de ter entrado para fazer 24 minutos, que não lhe correram bem, com o Tondela. Ainda esteve no banco com o Olympiacos, mas nunca mais foi opção. O caso do antigo jogador do Portimonense é, como dissemos, mais complicado, pelo facto de o FC Porto ter investido muito dinheiro na sua contratação.