FC Porto entre a oportunidade e o preço de Gonçalo Paciência

FC Porto entre a oportunidade e o preço de Gonçalo Paciência
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Desempenho na pré-época será crucial para clarificar a situação do internacional português, que pretende jogar com regularidade. Italianos, ingleses, espanhóis e alemães acenam-lhe com essa promessa

O futuro de Gonçalo Paciência encontra-se em stand by. O avançado foi de férias convencido de que terá mais uma oportunidade para se mostrar na pré-temporada, mas a continuidade no FC Porto dependerá de vários fatores: da continuidade ou não dos concorrentes (Marega, Aboubakar e Soares), da renovação do contrato que expira em 2019 e do poder de persuasão dos pretendentes que entretanto foram aparecendo. Por isso, a sociedade azul e branco tem feito saber que são necessários sete milhões de euros para início de conversa.

Recuperado nos últimos dias do mercado de janeiro, depois de seis meses auspiciosos no V. Setúbal, Gonçalo Paciência foi lançado por Sérgio Conceição em apenas 12 jogos e na maioria deles (10) a partir do banco. O avançado concretizou o sonho de se sagrar campeão pelo clube do coração, mas percebeu que, no atual contexto, dificilmente jogará com a regularidade que pretende. Só as saídas de Marega, Aboubakar ou Soares poderiam alterar o cenário atual, para o qual também contribui o facto de ter apenas mais um ano de contrato. Continuar sem o renovar não é algo que agrade às duas partes, embora as conversas nesse sentido se encontrem em banho-maria.

Bem cotado no mercado internacional, pelo facto de nos últimos três anos ter participado em dois Europeus de sub-21 e nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Gonçalo tem sido seguido com atenção por vários clubes. Génova e Sampdória manifestaram vontade de contar com ele, mas a lista de interessados não se fica pelos dois emblemas da Serie A. Swansea, Nottingham Forest (Inglaterra), Eibar (Espanha) e Eintracht Frankfurt (Alemanha) também já procuraram informações junto do empresário do avançado de 23 anos, Carlos Gonçalves, que aguarda por uma proposta concreta para a fazer chegar aos escritórios da SAD.

A última palavra pertencerá a Sérgio Conceição, que, em entrevista a O JOGO, deixou uma certeza em relação aos jogadores que chegaram à equipa em janeiro, entre os quais Gonçalo. "Todos vão ter oportunidade de trabalhar na pré-época para demonstrar o que não foi possível este ano, porque também era difícil chegar e encaixar logo numa equipa como a nossa", revelou o treinador do FC Porto. Cabe ao avançado convencê-lo de que merece o lugar no plantel.