Caso dos e-mails: FC Porto diz que "não se conforma" e que vai recorrer da decisão

Caso dos e-mails: FC Porto diz que "não se conforma" e que vai recorrer da decisão

O FC Porto reagiu em comunicado.

O Tribunal do Juízo Central Cível do Porto condenou parcialmente a SAD do FC Porto no caso dos e-mails do Benfica divulgados pelo diretor de comunicação do clube, Francisco J. Marques, no Porto Canal. A SAD do Dragão terá de pagar cerca de dois milhões de euros ao Benfica, que exigia um valor a rondar os 17 milhões de euros.

A SAD portista e Francisco J. Marques foram condenados a pagar 523 mil euros por danos patrimoniais emergentes e 1,4 milhões de euros por danos não emergentes. Foram absolvidos os administradores da estrutura profissional do futebol do FC Porto: Pinto da Costa, Fernando Gomes e Adelino Caldeira. A decisão é passível de recurso.

Os dragões já reagiram em comunicado e garantem que vão recorrer da decisão.

Leia o comunicado na integra:

"Na sequência de uma ação interposta pelo Benfica, que reclamava uma indemnização de cerca de 18 milhões de euros, o Tribunal Judicial da Comarca do Porto absolveu Jorge Nuno Pinto da Costa, Adelino Caldeira, Fernando Gomes e Avenida dos Aliados - Sociedade de Comunicação S.A. e condenou o FC Porto, a FC Porto SAD, a FC Porto Media e Francisco J. Marques ao pagamento de 1.953.023,04 euros.

O FC Porto não se conforma com esta decisão, que penaliza a divulgação de informação que o próprio tribunal reconheceu como verdadeira, e por isso vai recorrer para o Tribunal da Relação do Porto.

O FC Porto reitera que todas as divulgações efetuadas no Porto Canal foram sempre realizadas ao abrigo do direito à informação e da salvaguarda da verdade desportiva, à imagem do que tem sido feito por órgãos de comunicação social de prestígio de países civilizados, como é o caso da revista alemã Der Spiegel, e tendo em conta a jurisprudência dominante nas instâncias judiciais europeias em relação a estas matérias."