FC Porto com novo mínimo no tempo de descanso

FC Porto com novo mínimo no tempo de descanso

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Será a 11.ª vez esta época que os portistas terão de defrontar um adversário menos de 72 horas depois de terem terminado um jogo. Saldo, ainda assim, é favorável e conta apenas uma derrota (Paços de Ferreira).

Num calendário altamente condicionado pelos problemas causados pela covid-19 na época passada, a regra das 72 horas de repouso entre jogos será, mais uma vez, violada nesta jornada. No caso do FC Porto, será a 11.ª vez esta temporada que isso acontece e, curiosamente, a segunda em que tal sucede num jogo com o Gil Vicente.

Depois de na primeira volta as duas equipas se terem defrontado com intervalo de apenas 70h30 em relação ao Manchester City-FC Porto (3-1), para a Liga dos Campeões, agora encontram-se menos de 68 horas depois de os dragões terem jogado com o Braga, para a Taça de Portugal (o jogo, recorde-se, terminou para lá das 22 horas de quarta).

Trata-se de um novo mínimo de tempo de descanso para os portistas, que a 28 de novembro se tinham apresentado nos Açores para jogar com o Santa Clara apenas 68h15 depois do desafio com o Marselha, para a Champions.

Embora jogar nestas condições seja uma dificuldade acrescida para os jogadores, principalmente para os indiscutíveis de Sérgio Conceição, o FC Porto apresenta um saldo positivo nos dez jogos que efetuou assim. Os portistas somam seis vitórias, uma das quais sobre o Gil Vicente (1-0), três empates e apenas uma derrota, sofrida com o Paços de Ferreira (2-3). Este sábado, serão novamente colocados à prova.