Expectativa por Brahimi: interpretação de "reincidência" ditará pena

Expectativa por Brahimi: interpretação de "reincidência" ditará pena
André Morais

Tópicos

Extremo falha a receção ao Feirense, mas pode estar disponível para as difíceis deslocações a Chaves e ao Marítimo. Amanhã, fica a conhecer-se o que Tiago Antunes relatou ao árbitro Hugo Miguel.

Brahimi falhará, com toda a certeza, o jogo com o Feirense, mas o FC Porto tem a expectativa de que o jogador possa estar disponível para as deslocações ao Chaves e ao Marítimo, ainda que o vermelho por palavras se enquadre no Artigo 158.º do Regulamento Disciplinar e possa merecer suspensão de um a quatro jogos.

Na prática é preciso saber, em primeiro lugar, o que vai Hugo Miguel escrever no relatório. Os dragões garantem que o quarto árbitro, Tiago Antunes, o tal que deu a indicação, não sabe sequer o que ouviu porque não percebeu o francês pronunciado pelo argelino. Mas alguma coisa o juiz de Lisboa terá de escrever e os comunicados da Federação tornam isso público desde o final de fevereiro. Amanhã, portanto, ficará a saber-se o que Brahimi alegadamente terá dito e quantos jogos de suspensão vai apanhar.

A norma aponta a apenas um jogo quando se trata da primeira vez. Uma reincidência duplica, no mínimo, a suspensão e é aqui que reside a expectativa a propósito do sentido atribuído à palavra "reincidência." É que Brahimi é reincidente em expulsões, mas não por palavras e/ou ofensas verbais, injúrias ou difamação. O jogador foi expulso por uma falta mais dura em Moreira de Cónegos, no início de 2017, num jogo de Taça da Liga que o FC Porto perdeu. De então para cá não regista qualquer outra ocorrência grave e esta é a primeira expulsão desde que está em Portugal por palavras. Aliás, nas duas primeiras temporadas, o jogador nunca foi expulso.