"Eu estava lá onde tudo aconteceu e não vi o Sérgio Conceição"

"Eu estava lá onde tudo aconteceu e não vi o Sérgio Conceição"

Declarações de Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, esta terça-feira no Porto Canal

Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, referiu-se esta terça-feira às declarações de Miguel Braga, responsável do Sporting, que na Sporting TV referiu que Sérgio Conceição "foi à sala de imprensa dizer mentiras e fazer-se de sonso" quando, antes do FC Porto-Estoril, comentou o facto de a Liga ter proposto castigos, também para Vítor Baía e Rui Cerqueira, na sequência de ofensas verbais a Frederico Varandas após o FC Porto-Sporting, da Liga Bwin.

"Isto tem que ver com o denominado caso da garagem do Dragão. [...] Não deixa de ser curioso que o Sporting, hoje em dia, tenha uma facilidade muito grande em duas coisas. Uma é mostrar a todos os portugueses a falta de respeito pelas figuras principais dos clubes adversários. Agora foi o Miguel Braga a faltar completamente ao respeito e a usar termos inaceitáveis em relação ao nosso treinador, Sérgio Conceição", começou por referir Francisco J. Marques.

"Na origem de tudo isto, convém não esquecer que estão declarações do presidente do Sporting [Frederico Varandas] sobre o presidente do FC Porto [Pinto da Costa] e até sobre o clube. Este desrespeito que agora faz regra no Sporting é uma coisa de se lamentar e notar. Depois, são estas tentativas de interferência no curso das autoridades desportivas. O Sporting queixou-se, está a decorrer um processo - aliás, a acusação até é pública -, haverá tempo para estas coisas e o Sporting parece que quer interferir nisto", acrescentou.

"Na origem disto estão as declarações do senhor presidente do Sporting, que foi à sala de Imprensa do Dragão insultar o FC Porto e o presidente do FC Porto. E foi isso que motivou a reação, um pouco emotiva, e porventura exagerada, de pessoas do FC Porto. Mas não do Sérgio Conceição", continuou o diretor do FC Porto, que garantiu saber o que se passou.

"Eu estava lá junto de onde tudo aconteceu e não vi o Sérgio Conceição. Estou admirado que não me tenham metido ao barulho. Mas como não fiz nada, seria impossível. Meteram o Sérgio Conceição e não o vi. Aliás, no fim, quando se começou a falar, perguntei se era verdade que o Sérgio Conceição lá estava e disseram-me que tinha estado encostado à porta. Ou seja, a versão que o Sérgio Conceição sempre disse ser verdadeira. Juro que não o vi. Olhei para onde foi efervescente e aí o Sérgio Conceição não estava. Portanto, isso posso garantir. E podem ir ver às imagens de videovigilância, que eu estava lá".