Empréstimo obrigacionista do FC Porto: procura excedeu oferta em 22 milhões de euros

Empréstimo obrigacionista do FC Porto: procura excedeu oferta em 22 milhões de euros

A procura excedeu a oferta em 22 milhões de euros. Ou seja, foi de 72 milhões, sendo que a oferta era de 50 milhões, valor que a SAD azul e branca pretendia atingir. Fernando Gomes fala em "operação de grande sucesso".

Fernando Gomes, administrador da SAD do FC Porto, pronunciou-se esta segunda-feira sobre o mais recente empréstimo obrigacionista, dando conta de que a procura (72 M€) ultrapassou a oferta, com os dragões a atingirem a fasquia pretendida dos 50 milhões de euros.

"Foi uma operação de grande sucesso. Confesso que estávamos algo apreensivos inicialmente, porque foi a primeira vez que lançámos um empréstimo obrigacionista com direito a troca de obrigações de um antigo empréstimo por outro novo. Procurávamos diminuir o impacto de um empréstimo obrigacionista que se vence em novembro de 2023. Esta primeira parte foi um sucesso, atingimos o valor que queríamos e minimizámos o impacto do novo empréstimo obrigacionista de 65 para 40 milhões", explicou o dirigente, em declarações aos meios do clube azul e branco, vincando que, face à resposta francamente positiva dos investidores, a SAD reforçou a tesouraria.

"A segunda parte era conseguir um reforço de tesouraria na ordem dos 15 milhões, podendo chegar a 25, o que aconteceu. Este empréstimo atinge, por isso, o valor que pretendíamos de 50 milhões e congratulamo-nos por uma operação de mercado de capitais com sucesso recorrendo aos pequenos investidores", prosseguiu Fernando Gomes, que aproveitou para deixar algumas notas de agradecimento. "Queremos agradecer à CMVM, à Euronext e sobretudo aos bancos, que tiveram aqui um papel informativo muito grande na operação de troca. E também aos pequenos investidores, porque são eles a essência do sucesso dos empréstimos obrigacionistas do FC Porto", rematou.

Refira-se, ainda, que foram 3916 os investidores neste empréstimo obrigacionista, que tinha como objetivos "obter fundos para financiar a atividade corrente" e "consolidar o passivo num prazo mais alargado", entre outros.