Emprestados são para rentabilizar no FC Porto: saiba quem são

Emprestados são para rentabilizar no FC Porto: saiba quem são
Bruno Filipe Monteiro

Tópicos

Dragões pretendem baixar os custos e, por isso, dão preferência às vendas. Cedências serão admitidas se o clube não pagar os vencimentos.

Nem só da compra e venda de jogadores para o plantel principal se fará este mercado (atípico) para o FC Porto, que conta obter algum aproveitamento financeiro com os elementos que estiveram emprestados na última época.

Jorge Fernandes foi o primeiro a desligar-se do clube e o negócio serve de exemplo para o que os dragões pretendem nos restantes: uma venda definitiva, que até poderá ser por uma verba "residual" (no caso foram 250 mil euros) se retiverem uma percentagem do passe. As propostas de empréstimo não serão descuradas, como é óbvio, mas terão de contemplar uma condição: o pagamento da maior fatia do vencimento, até porque a SAD azul e branca, como se sabe, tem instruções por parte da UEFA para ir reduzindo os custos com o pessoal.

Com exceção de Diogo Queirós, nenhum dos restantes elementos que estiveram cedidos na última temporada tem (por agora) instruções para se apresentar no arranque dos trabalhos. Saidy Janko (Young Boys), Chidozie (Leganés) e Fernando Andrade (Sivasspor) foram aqueles mais se valorizaram, pelo facto de terem jogado com bastante assiduidade. O lateral-direito, que se mostrou na Liga Europa e acabou o ano a festejar o título de campeão suíço, está a ser cobiçado por clubes espanhóis, italianos e ingleses. Já o central e o atacante são cobiçados na Turquia, onde o segundo jogou em 2019/20. De acordo com algumas informações provenientes daquele país, Chidozie até já terá declinado uma oferta do Rizespor, clube que alinha no mesmo escalão do Goztepe, que estuda a possibilidade avançar por Vaná.

A lista de jogadores do FC Porto que estiveram emprestados, porém, não se esgota nestes. Há ainda André Pereira, Inácio, Luizão, Rui Costa, Marius e Rui Pedro, que não entram nas contas das duas equipas principais do FC Porto (A e B) e têm de procurar colocação.

João Pedro e Saravia ficam no Brasil
A pandemia veio complicar as contas dos clubes brasileiros, que pediram jogadores até ao final do ano e tentam agora convencer os parceiros de negócio a aceitarem um prolongamento do empréstimo. É o caso do Bahia e do Internacional, que vieram ao Dragão recrutar João Pedro e Saravia, respetivamente. O lateral-direito brasileiro leva 16 jogos pelo clube de Salvador. Já o argentino fez apenas cinco pelo emblema de Porto Alegre, uma vez que só chegou em março, foi expulso contra o Esportivo no estadual e agora está a recuperar de uma lesão.